Meteorologia

  • 29 OUTUBRO 2020
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Costa anuncia contratação de mais 1.500 assistentes e faz apelo a alunos

Primeiro-ministro visitou esta sexta-feira uma escola secundária em Alcochete, antes de reunir o gabinete de crise em São Bento a propósito do aumento de casos de Covid-19 em Portugal. Costa aproveitou a visita para anunciar a contratação de mais 1.500 assistentes operacionais e para voltar a apelar ao cumprimento das regras dentro e fora das escolas.

Costa anuncia contratação de mais 1.500 assistentes e faz apelo a alunos

António Costa destacou esta sexta-feira, numa visita a uma escola secundária, em Alcochete, os avanços que a escola digital conseguiu e a grande adaptação que as famílias, alunos e professores tiveram para trabalhar com as novas ferramentas digitais. No entanto, frisou, "não há nada que possa substituir o ensino presencial".

Por isso, "não podemos perder aquilo que esta semana conquistamos", defendeu o primeiro-ministro, referindo-se à capacidade de o país ter as escolas a funcionar normalmente.  

Nesse sentido, o chefe do Executivo quis sublinhar duas mensagens. Em primeiro lugar, reforçou que "é muito importante cumprir as regras na escola", mas "é fundamental" que as regras também sejam cumpridas fora dos estabelecimentos de ensino.

O primeiro-ministro voltou a enfatizar que é fundamental  os alunos usarem a máscara, cumprirem a distância física e assegurarem a higiene das mãos e que estas regras não podem ser "quebradas" no caminho para casa, nas festas nos jardins, nos convívios noutros espaços. Se assim não for, "comprometemos o esforço que está a ser feito em cada escola". 

"Aquilo que eu peço encarecidamente a todos é que respeitem fora da escola as regras que aqui temos que ter para todos nos mantermos em segurança e para que a escola não volte a parar", insistiu. 

António Costa apelou ainda à utilização da aplicação StayWay Covid. "Felizmente, muitos dos alunos têm hoje telemóvel (...) E a app é particularmente importante a todos aqueles que trabalham ou estudam nas escolas", realçou o primeiro-ministro, sublinhando tratar-se de uma aplicação "absolutamente segura do ponto de vista da proteção dos dados pessoais".

O chefe do Executivo defendeu queStayWay Covid "é uma ferramenta absolutamente fundamental num espaço onde as pessoas vão estar, naturalmente, mais de 15 minutos juntas, e onde é provável que haja sempre alguém que possa estar infetado"

Sublinhando que o tempo é um factor crucial para conter esta pandemia, António Costa lembrou que "quanto mais rápido detectarmos uma infeção, mais rapidamente contemos o risco de transmissão e quebramos as cadeias de transmissão". 

O primeiro-ministro disse ainda que as famílias podem estar tranquilas porque os "responsáveis pelas escolas, os professores, os assistentes operacionais estão bem cientes das regras e totalmente empenhados" em fazê-las cumprir. 

Este ano, realçou, temos mais três mil professores, mais 900 técnicos especializados, anunciando que o Governo vai "imediatamente contratar mais 1.500 assistentes operacionais, para além de estarmos a concluir a revisão da portaria dos rácios de assistentes operacionais para podermos fixar um número superior"

Na visita, o chefe de Governo disse que a o processo de reabertura das escolas representa um dos maiores desafios no período que se vive devido à pandemia da covid-19.

"Concluímos ontem um dos exercícios mais difíceis desta retoma da atividade com a conclusão do processo de reabertura do ano letivo com aulas presenciais em todos os estabelecimentos de ensino e em todos os níveis de ensino. Desde 13 de março que não vivíamos esta realidade", lembrou.

De Alcochete, o primeiro-ministro ruma a Lisboa, onde reunirá o gabinete de crise. A reunião, convocada na quinta-feira por António Costa para hoje às 11h30, surge na sequência do "contínuo aumento" de novos casos diários de infeção com o novo coronavírus e pela necessidade de "reforçar a sensibilização dos cidadãos para a adoção de medidas de prevenção e de segurança contra a Covid-19".

Do gabinete de crise, que se reuniu pela última vez em 29 de junho, em São Bento, fazem parte os ministros de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, de Estado e da Presidência, Marina Vieira da Silva, de Estado e das Finanças, João Leão, da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, da Administração Interna, Eduardo Cabrita, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, da Saúde, Marta Temido e das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Integram ainda este gabinete de crise os secretários de Estado dos Assuntos Parlamentares, Adjunto do Primeiro Ministro, Adjunto e da Defesa, da Juventude e Desporto e da Mobilidade.

Portugal contabiliza hoje mais 10 mortes relacionadas com a covid-19 e 770 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.888 mortes e 66.396 casos de infeção.

DGS indica que cinco mortes foram registadas na região Norte, duas na região de Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Centro e uma na região do Algarve. Em vigilância estão 37.804 contactos, mais 517 do que na quarta-feira.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório