Meteorologia

  • 27 SETEMBRO 2020
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 24º

Edição

Amnistia lança petição em nome da defesa dos refugiados em Moria

A organização apela aos portugueses para assinarem o documento. O objetivo é apelar ao governo grego para que proteja os refugiados que se encontram em condições desumanas no campo de Moria, na ilha de Lesbos.

Amnistia lança petição em nome da defesa dos refugiados em Moria
Notícias ao Minuto

22:05 - 16/09/20 por Notícias ao Minuto 

País Campo de refugiados Moria

A Aministia Internacional lançou, ontem, uma petição que tem como objetivo exigir ao Governo grego "proteção urgente para os refugiados em Moria". Em comunicado, o movimento da Amnistia em Portugal apela para que a população portuguesa também contribua para este abaixo-assinado. 

desesperante a situação em Moria, na Grécia. Milhares de pessoas estão há precisamente uma semana a dormir na rua. Ajudem a exigir uma resposta urgente. Assinem a petição que lançamos hoje e partilhem. Estas pessoas precisam de nós para lhes darmos voz!", pode ler-se numa mensagem deixada nas plataformas digitais oficiais da organização, associada à petição. 

As assinaturas serão entregues exclusivamente pela Amnistia Internacional.

E o que vai concretamente apoiar? Para garantir uma decisão informada é referido no documento que o abaixo-assinado visa, em particular, apelar ao primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, que: "providencie ajuda humanitária urgente para os residentes do campo de Moria, incluindo abrigos de emergência e cuidados médicos, com testes e tratamentos para a Covid-19; priorize o descongestionamento dos campos nas ilhas, aumentando o número de transferências para o continente e as recolocações para outros Estados-membros da União Europeia e garanta que as medidas implementadas respeitam totalmente a dignidade dos residentes e evite a implementação de restrições injustificadas aos direitos e liberdades dos residentes"

A Aministia Internacional Portugal recorda ainda que os recentes incêndios que destruíram o campo de refugiados de Moria "deixaram milhares de pessoas a dormirem na rua e com acesso muito limitado a serviços básicos", bem como deixaram muitos refugiados sem os poucos bens que ainda possuíam, "incluindo documentos fundamentais para os seus pedidos de asilo".

"O descongestionamento de Lesbos e de outras ilhas gregas deve ser uma prioridade para as autoridades na Grécia. Os Estados-membros da União Europeia devem aumentar significativamente o número de requerentes de asilo que recolocam a partir da Grécia e pôr um fim à política de contenção nas ilhas", frisa ainda a organização. 

Até ao momento, mais de 900 pessoas já assinaram o documento. Leia a petição na íntegra aqui

O campo de refugiados de Moria alberga cerca de 12.500 pessoas, apesar da sua capacidade oficial ser de menos de três mil. Desde a sua criação, em 2015, que as infraestruturas de saneamento são muito escassas, os cuidados médicos desadequados e, hoje, com a pandemia da Covid-19, as medidas de prevenção sanitárias são quase impossíveis de cumprir. Nas últimas duas semanas, vários casos do novo coronavírus foram confirmados no campo, agravando as preocupações já existentes. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório