Meteorologia

  • 03 OUTUBRO 2022
Tempo
28º
MIN 16º MÁX 28º

As primeiras imagens de Rui Pinto no Tribunal Central de Lisboa

No Campus da Justiça estão vários fãs que fizeram questão de demonstrar o seu apoio ao hacker, no primeiro dia de julgamento.

Notícias ao Minuto

10:36 - 04/09/20 por Notícias Ao Minuto com Lusa

País Rui Pinto

Rui Pinto já chegou ao Tribunal Central de Lisboa, onde esta sexta-feira, dia 4 de setembro, começa a ser julgado por 90 crimes.

Nas imagens recolhidas por repórteres de imagem e fotojornalistas antes do início da sessão foi possível observar Rui Pinto na sala com máscara de proteção, devido às regras sanitárias por causa da pandemia da Covid-19.

Cá fora, além da forte operação de segurança que está montada no Campus da Justiça, estão vários fãs que não quiseram deixar de demonstrar o seu apoio ao pirata informático.

A primeira sessão do julgamento, presidida pela juíza Margarida Alves, estava agendada para as 09h30, mas começou já com mais de uma hora de atraso e rodeada de forte aparato policial - expresso num perímetro de segurança em torno das instalações e com a presença de unidades especiais da Polícia de Segurança Pública (PSP) - e mediático, atraindo dezenas de jornalistas de vários países.

As fortes medidas de segurança ditaram que os profissionais de comunicação social que assistem à sessão, tanto na sala de audiência - onde puderam entrar 12 jornalistas - como na sala que transmite o julgamento por videoconferência, não pudessem levar telemóvel e computador.

Foram estipuladas duas pausas de manhã e outras tantas de tarde, de forma a que os profissionais de comunicação social possam informar sobre o desenrolar do julgamento.

À entrada, os advogados que representam o criador do Football Leaks, Francisco Teixeira da Mota e William Bourdon, não quiseram prestar declarações, à semelhança do advogado Aníbal Pinto, o outro arguido do processo, pronunciado apenas pelo crime de extorsão, na forma tentada.

Rui Pinto, de 31 anos, vai responder por um total de 90 crimes: 68 de acesso indevido, por 14 de violação de correspondência e por seis de acesso ilegítimo, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol e a Procuradoria-Geral da República, e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada.

O criador do Football Leaks encontra-se em liberdade desde 7 de agosto, "devido à sua colaboração" com a Polícia Judiciária (PJ) e o seu "sentido crítico", mas está, por questões de segurança, inserido no programa de proteção de testemunhas em local não revelado e sob proteção policial.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório