Meteorologia

  • 27 OUTUBRO 2020
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

SOS Racismo apresenta queixa no MP por "parada Ku Klux Klan" junto à sede

Grupo de militantes de extrema-direita juntou-se em frente à sede da associação SOS Racismo, na noite de sábado, com máscaras brancas a tapar o rosto e tochas.

SOS Racismo apresenta queixa no MP por "parada Ku Klux Klan" junto à sede

Um grupo com cerca de duas dezenas de militantes de extrema-direita juntou-se, na noite de sábado, em frente à sede da associação SOS Racismo, com máscaras brancas a tapar o rosto e empunhando tochas, uma imagem em muito semelhante às dos supremacistas brancos do Ku Klux Klan, que perseguiam, espancavam e matavam afro-americanos, nos EUA, no século passado.

De acordo com o jornal Público, o SOS Racismo está a juntar várias provas para apresentar queixa no Ministério Público (MP) contra os “nacionalistas” por ameaças à integridade física, ofensas morais e danos patrimoniais e incitamento ao ódio e violência.

O caso foi denunciado pela própria organização anti-racista nas redes sociais. Além desta “parada do Ku Klux Klan”, refira-se, o SOS Racismo tem sofrido várias ameaças e, há menos de um mês, viu mesmo a sua sede, em Lisboa, ser vandalizada com a frase “Guerra aos inimigos da minha terra”.

Na página de Facebook ‘Resistência Nacional’, ligada à extrema-direita, foram vários os membros do grupo que partilharam imagens da ação. De acordo com os “nacionalistas”, este protesto serve como “homenagem aos polícias mortos em serviço” e contra o “racismo anti-nacional”. Numa das publicações, há mesmo quem se glorifique de ter feito uma “visita” à sede do SOS Racismo.

Mamadou Ba, um dos dirigentes do SOS Racismo, já reagiu a esta ação nas redes sociais. “Os membros deste grupelho são tão corajosos que tiveram de tapar a cara para o seu número de circo político, em frente a sede do SOS”, começa por escrever o responsável da associação, revelando que um dos participantes já lhe fez mesmo “ameaças explícitas de morte”.

“É um daqueles moçoilas neonazis tugas com articulação com a extrema-direita da Europa de leste”, refere.

Mamadou Ba admite ainda alguma preocupação com esta manifestação racista. “Se é certo que temos de encarar a provocação da extrema-direita com seriedade, mas há sempre um lado grotesco em tudo o que fazem que merece uma risada. Ontem, actuaram como lobos. Pois, os lobos são dos mais cobardes entre os predadores, só caçam na penumbra”, escreveu.

Ainda segundo o mesmo dirigente, às redes sociais e email do SOS Racismo chegam centenas de ameaças. Uma das mais recentes mensagens, partilhada publicamente por Mamadou Ba na sua página de Facebook, anuncia a criação de uma nova organização de extrema-direita. No e-mail lêem-se ainda várias ameaças, como por exemplo, “para cada nacionalista preso cairá um anti-fascista e para cada nacionalista morto desaparecerão dezenas de estrangeiros”.

Recorde-se que a Resistência Nacionalista, criada no início de julho, é composta por antigos elementos da Nova Ordem Social, entretanto suspensa por Mário Machado, do Partido Nacional Renovador, e membros dos Portugal Hammer Skins.

O mesmo grupo conta ainda, de acordo com o jornal Público, com apoiantes do Chega e elementos ligados ao grupo de futebol 1143, que apoia o Sporting.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório