Meteorologia

  • 14 AGOSTO 2020
Tempo
25º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

"Défice de 7% traduz bem a crise brutal que vamos viver"

Chefe de Estado comenta que as previsões económicas para a segunda metade do ano são piores do que se pensava inicialmente.

"Défice de 7% traduz bem a crise brutal que vamos viver"

Em declarações aos jornalistas, em Coimbra, o Presidente da República comentou as previsões económicas que refletem o impacto da economia, salientando que um défice de 7% "traduz bem a crise brutal" que o país já começou a viver e que irá viver daqui em diante. 

"As previsões dizem que aquilo que se pensa ser a evolução económica e financeira na segunda metade deste ano é pior do que se pensava. O BdP chegou a fazer previsões abaixo de 6%, depois foram subindo, estão agora em 9,5% relativamente à queda do PIB", analisou Marcelo, assinalando que "quando há uma queda tão profunda do PIB, isso quer dizer que diminui as receitas e que a atividade económica se afunda". 

Por outro lado, aumentam as despesas, enfatizou o chefe de Estado, lembrando que "o prolongamento da pandemia implica despesas de natureza sanitária e de naturezas sociais".

O Presidente destacou ainda que a abertura das fronteiras "tem animado a economia portuguesa"e isso mesmo constatou o próprio no Algarve, afirmando que o país vai acompanhar o evoluir dos acontecimentos. 

[Notícia em atualização]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório