Meteorologia

  • 29 SETEMBRO 2020
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 29º

Edição

Costa não vê "para já" condições para freguesias saírem da Calamidade

António Costa adiantou esta quarta-feira que "para já" não estão reunidas as "condições" para alterar o Estado de Calamidade nas 19 freguesias da Área Metropolitana de Lisboa (AML).

Costa não vê "para já" condições para freguesias saírem da Calamidade

"Para já, não antecipo que na próxima quinzena haja condições para avançarmos no sentido de diminuir o grau de classificação do estado de exceção" nas 19 freguesias dos concelhos de Sintra, Amadora, Lisboa, Loures e Odivelas.

A mensagem foi transmitida por António Costa depois de ter estado reunido com o autarca de Sintra, Basílio Horta, na sequência das várias reuniões que tem promovido para avaliar a evolução recente da situação epidemiológica nos concelhos mais afetados pela Covid-19.

O primeiro-ministro acrescentou ainda que "a boa notícia é que, para já, nada indica que tenhamos de elevar o nível de alerta que vigora na generalidade do país".

Em relação à Área Metropolitana de Lisboa (AML), António Costa admitiu a possibilidade de haver "alguma evolução", mas, "vamos ver, ainda falta mais de uma semana" para que a decisão tenha de ser tomada. 

Resultados "animadores" em Sintra

No que diz respeito à situação de Sintra, acredita o chefe do Governo que "é muito cedo" para avaliar o trabalho das equipas mistas que foram colocadas no terreno. Porém, "a tendência é de estabilização [do número de casos ativos]".

Com efeito, vincou o primeiro-ministro, "é preciso incentivar e ver o que podemos fazer mais em cada um dos concelhos". 

A mesma ideia foi transmitida pelo autarca, que indicou que "os últimos resultados sobre casos ativos são animadores [na região de Sintra]", sendo que "dão conta de um decréscimo sistemático". 

No entanto, no entendimento de Basílio Horta, estes resultados têm de ser encarados com realismo, já que "estamos a caminhar sobre gelo muito fino. Não sabemos o dia de amanhã". O trabalho que tem sido desenvolvido no âmbito da mitigação da pandemia visa "manter esta tendência [de decréscimo]", acrescentou ainda. 

Considerando que Sintra é uma região "singular", quer pela sua "extensão, quer pela diversidade", torna-se imperioso desenvolver um "trabalho de grande proximidade. Há necessidade de conhecer a realidade das pessoas que estão confinadas", bem como perceber qual o "percurso da transmissão do vírus", quebrando as cadeias. 

A Câmara Municipal de Sintra está, neste sentido, a testar "o que se justifica", tendo desenvolvido ações de rastreio no tribunal, em lares e em creches. 

Para além do combate à pandemia de Covid-19, está a ser travado um combate "à crise económica e social. Estamos juntos nos combates no sentido de os vencer", terminou. 

Está agendada ainda para esta quarta-feira uma reunião na Amadora, na qual marcarão presença, à semelhança do que aconteceu em Sintra, a ministra da Saúde, Marta Temido, e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, que é também o coordenador do Governo para a região de Lisboa e Vale do Tejo para o combate à covid-19.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório