Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Obesidade é também fator de risco para quem tem Covid-19, lembra DGS

Assinala-se hoje o Dia Nacional da Luta contra a Obesidade.

Obesidade é também fator de risco para quem tem Covid-19, lembra DGS

A Direção-Geral de Saúde (DGS) assinala o Dia Nacional de Luta contra a Obesidade lembrando que esta condição ou o excesso de peso "são factores de risco para o desenvolvimento de outras doenças, como diabetes, hipertensão ou enfarte agudo do miocárdio". Além disso, é  também "factor de risco para quem tem a Covid-19.

A autoridade de saúde recomenda a que se mantenha uma alimentação equilibrada e atividade física regular, recordando a importância de beber água

Estas recomendações são ainda mais importantes numa altura em que os profissionais de saúde e doentes temem que as dificuldades económicas que já se estão a sentir na sequência da pandemia de Covid-19 e a paragem dos tratamentos façam aumentar os números da obesidade no país.

"Todas as condições para que a obesidade aumente estão criadas, as pessoas ficaram com menos posses, com menos dinheiro, os tratamentos estão parados", afirmou o presidente da Associação dos Obesos e Ex-Obesos de Portugal (ADEXO), Carlos Oliveira, à agência Lusa a propósito do Dia Nacional de Luta contra a Obesidade.

Além de as pessoas terem "menos dinheiro", o que "obriga a uma alimentação menos saudável", o confinamento também faz com que "muita gente não faça exercício absolutamente nenhum". "A obesidade vai aumentar, mas vão aumentar também as outras doenças que vão aparecer com a obesidade" e que "vão gastar dinheiro ao Estado porque são todas comparticipadas", advertiu.

A presidente da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEO), Paula Freitas, também alertou para esta situação, lembrando que todos os estudos demonstram que a obesidade e a pré-obesidade são mais prevalentes nas classes sociais mais desfavorecidas.

"Os problemas económicos podem potencialmente agravar ainda mais o problema da obesidade, as pessoas têm menor acesso à alimentação correta", mas também poderão "ter menor acessibilidade aos cuidados de saúde ou a qualquer terapêutica farmacológica porque os fármacos para esta doença não são comparticipados", disse a endocrinologista à Lusa.

Segundo a especialista, o facto de estar a assistir-se a "um agravamento das dificuldades económicas" na sequência da pandemia faz com que pessoas acabem por comprar alimentos "mais baratos, mas que são muito ricos em gordura, em sal e em açúcar em detrimento de uma alimentação mais correta, mais variada, com hortofrutícolas, carne, peixe".

Todos devem "olhar para a obesidade" como uma doença que também "é fator de risco para mais de 200 patologias associadas", sendo por isso "muito importante que se trate a causa desde o início e não só as consequências".

Uma vez que a prevalência da obesidade tem aumentado nos últimos anos, a comunidade científica, os profissionais de saúde, mas também a sociedade civil, devem unir-se numa "luta enorme" para travar o seu aumento "e preferencialmente tentar regredir os números" desta doença em Portugal, onde cerca de 60% das pessoas são obesas ou pré-obesas.

Dado que Portugal foi dos primeiros países a reconhecer a obesidade como uma doença, a SPEO gostaria de a ver tratada como "a patologia grave que é".

"É preciso um diagnóstico mais atempado e reencaminhamento dentro do sistema de saúde, apostar na promoção de uma melhor educação para a saúde e promoção correta da perda de peso", defendeu em comunicado.

Existe também a necessidade de uma reestruturação dos programas de tratamento existentes no país: "Há que dotar os profissionais de saúde dos Cuidados de Saúde Primários de conhecimentos sobre o tratamento global da obesidade, mas também de meios físicos e económicos".

Para assinalar Dia Nacional de Luta contra a Obesidade, as organizações lançaram o 'site' "A Verdade sobre o Peso" (www.averdadesobreopeso.com), com informação cientificamente validada sobre os vários fatores que podem influenciar o excesso de peso: genética, hormonas, ambiente, aspetos biológicos e psicológicos de cada indivíduo, sono e stress.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório