Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Fundão cancela Festa da Cereja e arraiais populares até final de agosto

Fundão, Castelo Branco, 23 abr 2020 (Lusa) - A Câmara do Fundão decidiu cancelar a Festa da Cereja, o Festival SangriaAgosto, restantes eventos que ia copromover até final de agosto e também não vai passar licenças para as festas populares nas freguesias, face à covid-19.

Fundão cancela Festa da Cereja e arraiais populares até final de agosto
Notícias ao Minuto

13:58 - 23/04/20 por Lusa

País Fundão

Em declarações à agência Lusa, o presidente deste município do distrito de Castelo Branco, Paulo Fernandes, explicou que a decisão se impunha face à necessidade de prevenção que se manterá nos próximos meses e também à perceção de que a eventual realização das mesmas seria sempre muito condicionada e restritiva, e que as próprias pessoas poderiam não participar por terem receio.

O cancelamento abarca eventos como a Festa da Cereja, que decorreria em junho, ou o Festival Cale&SagriAgosto, bem como as inúmeras festas populares, que normalmente têm lugar nas freguesias durante os meses de verão.

"Sabemos que é uma decisão que traz custos sociais e económicos. Estamos a falar de eventos com grande valor para as pessoas e de grande impacto económico, quer para as comunidades locais, quer para o setor da hotelaria e restauração, que infelizmente já está tão pressionado, mas a proteção das pessoas tem de estar acima de tudo. Neste momento, não vejo que houvesse outro tipo de decisão a tomar. É uma questão de bom senso", frisou.

O autarca lembra que todas as indicações apontam para que as restrições tenham de se manter, mesmo depois do fim do estado de emergência e por um período que se poderá prolongar por 90 dias, ou seja, o período em que decorreriam eventos e festas.

O Festival de Música Antiga de Castelo Novo e a Feira Ibérica de Teatro também estão na lista, mas ainda está a ser ponderada a eventual realização mais para o final do ano.

No que concerne às festas populares das freguesias, Fernandes esclareceu que a realização ou não da parte religiosa será decidida entre as entidades da Igreja e as comissões de festas, mas que para a parte de animação e dos arraiais populares não será passada a obrigatória licença camarária, até final do mês de agosto.

Paulo Fernandes especifica que algumas comissões de festas até já estavam a ponderar essa situação e destaca o perigo que estes certames acarretariam, dado que concentram um grande número de pessoas a residir em várias latitudes do mundo, pelo que é necessário ter ainda mais cuidados de prevenção.

"Espero que todos compreendam que, neste momento, o facto que mais pondera é o da saúde pública, para que depois possamos ter um 2021 menos difícil", acrescentou.

Ressalvando que as decisões podem sofrer alterações face à evolução da situação, também explicou que o município vai decidir no final do mês de junho as medidas a tomar para os últimos quatro meses do ano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório