Meteorologia

  • 01 JUNHO 2020
Tempo
23º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

“Por esta janela, vejam o meu mundo. Não é momento de beijar nem abraçar"

Enfermeiro do Curry Cabral mostra cuidados a doente com Covid-19 e recorda que os “afetos e tradições têm que dar lugar ao cuidado e às recordações”.

“Por esta janela, vejam o meu mundo. Não é momento de beijar nem abraçar"

O enfermeiro do Hospital Curry Cabral Nuno Moreira da Fonseca recordou, esta quarta-feira, nas redes sociais, que, apesar dos números da pandemia da Covid-19 em Portugal não serem tão dramáticos como noutros países, ainda não é tempo de voltar “a beijar e abraçar” e muito menos de cumprir tradições que impliquem aglomerados de pessoas.

Com uma fotografia emocionante, onde se vê um enfermeiro a cuidar de um doente diagnosticado com o novo coronavírus, Nuno Moreira da Fonseca abriu as ‘cortinas’ de uma janela que mostra o ‘mundo’ onde milhares de profissionais de saúde vivem há meses, em Portugal e não só.

“Por esta janela, vejam o meu mundo. O meu e o de tantos outros, pacientes e profissionais de saúde. Com entrega, incerteza e sofrimento. Mas sempre com muita esperança e diligência. Esta é também a janela da oportunidade. Da oportunidade de continuarmos a ser conscientes e escolher respirarmos sozinhos ou termos que ser assistidos. Este não é o momento de beijar nem abraçar. Os afetos e tradições têm que dar lugar ao cuidado e às recordações”, escreveu o enfermeiro do Curry Cabral no Instagram.

Na mesma publicação, Nuno lembrou que “a distância de agora será o reencontro ansiado amanhã” e frisou que os profissionais de saúde precisam que todos cumpram a sua parte para conseguirem ajudar todos os doentes.

Recordem-se o quanto eu e todos os meus colegas precisamos do vosso apoio e cuidado na acção, optando pela razão em detrimento do coração. De outra forma, de que serve tudo o que de solidário estamos a fazer? Pensem nisto, evitemos o risco ainda nada está ganho, e tudo pode ser perdido. Perseverança tem que ser o que nos une”, rematou o profissional de saúde.

View this post on Instagram

Por esta janela, vejam o meu mundo. O meu e o de tantos outros, pacientes e profissionais de saúde. Com entrega, incerteza e sofrimento. Mas sempre com muita esperança e diligência. Esta é também a janela da oportunidade. Da oportunidade de continuarmos a ser conscientes e escolher respirarmos sozinhos ou termos que ser assistidos. Este não é o momento de beijar nem abraçar. Os afectos e tradições têm que dar lugar ao cuidado e às recordações. Sabemos todos que a distância de agora será o reencontro ansiado amanhã. Recordem-se o quanto eu e todos os meus colegas precisamos do vosso apoio e cuidado na acção, optando pela razão em detrimento do coração. De outra forma, de que serve tudo o que de solidário estamos a fazer? Pensem nisto, evitemos o risco ainda nada está ganho, e tudo pode ser perdido. Perseverança tem que ser o que nos une. #covid_19 #covid19portugal #enfermeiros #equipa #infecciologia #hospitalcurrycabral #dgs #oms #vamosvencer #vamosficartodosbem

A post shared by Nuno Moreira da Fonseca (@nuno.moreira.da.fonseca) on Apr 15, 2020 at 9:54am PDT

Recorde-se que, esta quarta-feira, as autoridades de saúde portuguesas anunciaram que a Covid-19 já matou 599 pessoas em Portugal e infetou mais de 18 pessoas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório