Meteorologia

  • 31 MARçO 2020
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Diretores desafiam Ministério a garantir Internet a todos os alunos

Os diretores escolares desafiaram hoje o Ministério da Economia a colocar Internet em casa dos alunos que precisam e a disponibilizar computadores às famílias carenciadas para que todos possam assistir às aulas à distância, que começaram há uma semana.

Diretores desafiam Ministério a garantir Internet a todos os alunos
Notícias ao Minuto

13:19 - 24/03/20 por Lusa

País Covid-19

As escolas estão fechadas há mais de uma semana devido à pandemia covid-19, mas as aulas continuam com o ensino à distância. No entanto, 5% das famílias com estudantes até aos 15 anos não têm Internet em casa e um em cada cinco alunos não tem equipamentos, como computadores, que permitam fazer os trabalhos propostos pelos professores.

Este é um problema que preocupa professores, pais e o Ministério da Educação que têm apresentado medidas e sugestões para tentar combater esta desigualdade social.

Hoje, o presidente da Associação Nacional de Diretores e Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) lançou um novo desafio ao Governo.  

"Desafio o Ministério da Economia e da Transição Digital a fazer jus ao nome que usa e a celebrar protocolos com as operadoras para que seja colocada Internet em casa dos alunos que não têm, e que dote os lares dos nossos estudantes de computadores", defendeu Filinto Lima, presidente da ANDAEP, em declarações à Lusa.

Filinto LIma lembrou que "o digital não é um luxo, é uma necessidade", e por isso dotar as casas com Internet e equipamentos é "ajudar os alunos".

As escolas sabem bem quem são os alunos que estão excluídos, já que no início de cada ano letivo os estudantes preenchem uma ficha onde lhes é perguntado se têm Internet e computadores.

"Estamos à espera que o Ministério da Economia nos venha pedir estes números", sublinhou Filinto Lima.

Também os professores que agora estão a ensinar à distância sabem quem são os alunos que "estão a faltar às aulas", lembrou, reconhecendo o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Ministério da Educação.

Entre as medidas propostas está a celebração de acordos com os CTT para servirem de intermediários entre os alunos e os professores fazendo a entrega e recolha de fichas de trabalho.

No entanto, estes alunos continuam sem conseguir aceder às aulas virtuais. Ficam excluídos do trabalho feito através da internet, lembraram os diretores escolares.  

Este é um problema que também preocupa Manuel Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), que voltou hoje a sublinhar que as "realidades dos alunos são todas muito diferentes" e que "todas as sugestões para reduzir as desigualdades sociais são boas".

Cerca de dois milhões de crianças e jovens, desde a creche até ao ensino superior, estão em casa com as famílias, uma das medidas do Governo para tentar conter a disseminação do novo coronavírus que já infetou mais de duas mil pessoas em Portugal.

Tal como em Portugal, milhões de alunos em todo o mundo estão neste momento em casa a ter aulas à distância.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 360 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.077 mortos em 63.927 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório