Meteorologia

  • 29 MARçO 2020
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

ANIMAL exige fiscalização a restantes animais de João Moura

Pedido de fiscalização surge depois de a associação anunciar que ia constituir-se assistente no processo.

ANIMAL exige fiscalização a restantes animais de João Moura

A ANIMAL pede que sejam "fiscalizados e, se necessário, resgatados, os restantes animais da herdade" do cavaleiro tauromáquico João Moura, que foi detido na passada quarta-feira por maus-tratos a animais domésticos, pode ler-se num comunicado enviado às redações.

Este pedido surge depois de aquela associação ter anunciado publicamente, na quinta-feira passada, que iria constituir-se assistente no processo por maus-tratos a animais de companhia.

Na nota, Rita Silva indica que a ANIMAL "tomou conhecimento de que estes casos na herdade de João Moura não são de agora, o que muito lamenta".

"Soubemos que a denúncia que despoletou todo este episódio foi anónima e, no que de nós depender, assim se manterá. Contudo, e para que possamos tentar ajudar os animais que lá ficaram, incluindo cadelas a amamentar e suas crias, apelamos a que a pessoa entre em contacto connosco. A sua identidade nunca será revelada por nós, garantimos, mas queremos iniciar todos os procedimentos legais possíveis para ajudar os outros animais e a ajuda dessa pessoa seria fundamental", sublinha.

A presidente da organização destaca que a ANIMAL quer "fazer deste caso um caso exemplar".

"Queremos que as pessoas repensem a forma como diferenciam os animais, cujo sofrimento é o mesmo independentemente da espécie a que pertençam. Queremos que o sofrimento atroz daqueles cães não tenha sido em vão", remata.

Na semana passada, a ANIMAL - tal como a SOS Animal - anunciou que vai constituir-se assistente no processo criminal contra João Moura.

O cavaleiro tauromáquico foi detido na sequência do cumprimento de um mandado de busca à sua propriedade, que resultou ainda na apreensão de 18 cães.

Presente no mesmo dia a tribunal, para ser interrogado, foi-lhe imposto termo de identidade e residência, a medida de coação menos grave e que obrigatoriamente é aplicada a um arguido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório