Meteorologia

  • 31 OUTUBRO 2020
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Morreu doente que parou Parlamento para pedir tratamento para Hepatite C

José Carlos Saldanha ficou conhecido há cinco anos.

Morreu doente que parou Parlamento para pedir tratamento para Hepatite C

Morreu José Carlos Saldanha que, há cinco anos, ficou conhecido por interromper uma sessão do Parlamento para pedir tratamento para a Hepatite C, avança a TVI24.

Já à Lusa, fonte oficial do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte adiantou que a morte se deveu a uma septicemia, que não está ligada à hepatite C, da qual José Carlos Saldanha já se tinha curado. 

José Carlos Saldanha foi mesmo um dos primeiros doentes a receber o tratamento no Hospital Santa Maria, em Lisboa.

No dia 4 de fevereiro de 2015, José Carlos Saldanha interrompeu uma comissão parlamentar e pediu ao então ministro da Saúde, Paulo Macedo, para comprar os fármacos inovadores que curavam a Hepatite C e que já existiam no mercado mas que Portugal ainda não tinha comprado.

“Não me deixe morrer”, foi o grito do homem que hoje morreu e que deixou o país em alerta para a situação destes doentes que era, até então, desconhecida do público em geral. José Carlos Saldanha tornava-se assim o rosto de todos os doentes com Hepatite C de Portugal.

Apesar de Paulo Macedo, hoje presidente da Caixa Geral de Depósitos, ter garantido que não foi devido a este apelo que o medicamento ficou disponível, porque o governo já tinha chegado a acordo com o laboratório, a verdade é que, apenas um dia depois de José Carlos Saldanha ter denunciado o caso, o antigo governante anunciou que todos os doentes portugueses com Hepatite C iam receber o tratamento.

Recorde-se que, na altura, foi divulgado que José Carlos Saldanha, tal como milhares de doentes em Portugal, tinha experimentado vários tratamentos para a Hepatite C e esperava por um medicamento inovador que atingia uma percentagem de cura superior a 90%, mas que ainda não estava disponível para todos os doentes em Portugal.

José Carlos Saldanha chegou mesmo a revelar na comissão parlamentar que tinha enviado a Paulo Macedo uma carta onde se disponibilizava a pagar metade do tratamento para poder viver, mas que o ministro da Saúde nunca lhe tinha respondido.

"Senhor ministro, tenho a dizer que a mãe do David morreu. Não me deixe morrer. Eu quero viver. Eu ofereci-lhe metade do dinheiro para o senhor me dar o tratamento. Escrevi-lhe uma carta e o senhor não me respondeu. Não há direito. Acabem com isto, por favor, de uma vez por todas", foram as palavras de José Carlos Saldanha dentro da sala onde decorria a audição parlamentar e que nunca serão esquecidas pelos doentes com Hepatite C de Portugal.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório