Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Fenprof sai da reunião com o ministro da Educação sem "única resposta"

A Fenprof não espera soluções para os problemas dos professores e da educação tão cedo, afirmou Mário Nogueira à saída de uma reunião com o ministro da Educação, que não deu "uma única resposta" aos docentes.

Fenprof sai da reunião com o ministro da Educação sem "única resposta"
Notícias ao Minuto

21:23 - 22/01/20 por Lusa

País FENPROF

"Se entrámos aqui com algumas preocupações, saímos com as mesmas e, nalguns casos, até com preocupações acrescidas, porque não houve respostas", declarou o secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof).

Em declarações aos jornalistas, Mário Nogueira lamentou que o ministro não tenha adiantado esclarecimentos sobre as prioridades para esta legislatura e sobre a concretização de algumas intenções que já foram anunciadas, apesar de Tiago Brandão Rodrigues ter insistido na abertura do Governo para o diálogo.

"O que nos parece é que o senhor ministro considera que o diálogo e a negociação têm que decorrer de acordo com as regras que são impostas pelo Ministério", reagiu o sindicalista.

Segundo o secretário-geral da Fenprof, a prioridade para a educação deve passar por tornar a profissão de docente atrativa, acrescentando que a falta de professores nas escolas é uma tendência que se está a generalizar e que "se é para continuar assim, a escola vai sofrer".

Mário Nogueira adiantou ainda que a Fenprof vai manter a greve nacional de professores e educadores no 31 de janeiro e a participação no protesto da função pública, marcado para o mesmo dia, acrescentando que os docentes se vão reunir num plenário nacional no dia 12 de fevereiro para discutir o Orçamento do Estado.

"Para podermos ter respostas, por parte do Ministério, que vão ao encontro dos anseios dos professores e daquilo que é necessário para que as escolas possam organizar-se e possam funcionar bem, os professores vão ter de lutar por isso", sublinhou.

A Fenprof foi a última estrutura sindical de professores ouvida por Tiago Brandão Rodrigues, num dia que o ministro dedicou aos sindicatos do setor da educação e do ensino.

Horas antes, a Federação Nacional da Educação (FNE) tinha reagido de forma positiva à reunião com a tutela, reconhecendo a disponibilidade para ouvir os sindicatos sobre a organização do próximo ano letivo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório