Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2019
Tempo
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Felgueiras culpa direção da RTP por falta de recursos no Sexta às 9

A jornalista Sandra Felgueiras culpou hoje a RTP pelo desfalque na equipa do Sexta às 9, que diz ter menos recursos do que o "Linha da Frente", e recusou a existência de um "processo de intenções" contra o Governo.

Felgueiras culpa direção da RTP por falta de recursos no Sexta às 9
Notícias ao Minuto

15:58 - 03/12/19 por Lusa

País Sandra Felgueiras

"Quanto a interferências políticas, naturalmente que não vou comentar. Vou dizer-lhe que a primeira reunião que eu tive com esta direção de informação, em novembro de 2018, comuniquei que precisava de seis repórteres e foi-me dito que aguardasse pela chegada de Cândida Pinto [atual diretora-adjunta da RTP]", disse Sandra Felgueiras, que falava na comissão parlamentar de Cultura e Comunicação.

Segundo esta profissional, após a chegada da Cândida Pinto à estação pública, teve mais uma reunião com a direção de informação, na qual lhe foi comunicado um prazo de dois meses para o reforço da equipa, o que não aconteceu.

"Em junho, com uma equipa esgotadíssima pelo trabalho, a diretora-adjunta perguntou a todos como se sentiam e alguns começaram a chorar. A diretora-adjunta não perguntou como me sentia, mas se perguntar quem fez o 'Sexta às 9' e chamar todos os repórteres, todos responderão que fui eu", acrescentou.

A jornalista disse ainda que, atualmente, o programa conta com quatro repórteres, maioritariamente, jovens, que não recebem salários correspondentes ao trabalho que exercem, sublinhando que "entregar o jornalismo de investigação a jornalistas que não estão preparados", obriga-a a um esforço "que não é digno para o serviço público de informação".

Sandra Felgueiras garantiu também que apresentou soluções à direção da RTP, vincando que "não é digno" ter jornalistas a ganhar o mesmo que caixas de supermercado.

Questionada pelo PS sobre a possibilidade de existência de um "processo de intenções", a jornalista negou e convidou o grupo parlamentar a assistir a todos os episódios do programa, nomeadamente, os que correspondem ao período de governação do PSD e CDS.

"Vou relatar factos e não interpretações sobre factos. Acho curiosa a expressão, mas da minha parte e de toda a minha equipa, não há um processo de intenção, mas a defesa intransigente do serviço público", notou.

Durante a sua intervenção, a jornalista apontou ainda as diferenças entre o tratamento que é dado pela RTP ao "Sexta às 9" e ao "Linha da Frente", o único formato que para a profissional que se assemelha ao primeiro, remetendo mais esclarecimentos para a direção de informação.

"Se existe um tratamento diferenciado, terá que perguntar à direção de informação. O 'Linha da Frente' tem repórteres fixos e o 'Sexta às 9' tem uma equipa nova, dois terços nunca fez jornalismo de investigação. São pessoas que estão a trabalhar com recursos mínimos, o que já comunicámos à diretora de informação [Maria Flor Pedroso], sem qualquer êxito", concluiu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório