Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2020
Tempo
MIN 7º MÁX 13º

Edição

Missão militar portuguesa partiu para o Afeganistão

O secretário de estado adjunto da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, sustentou que a segurança que existe em Portugal e na União Europeia "também se constrói" no Afeganistão e na missão militar portuguesa que partiu hoje para aquele país.

Missão militar portuguesa partiu para o Afeganistão

"A segurança que temos em Portugal e na União Europeia também se constrói no Afeganistão e nesta missão", afirmou o governante, no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, perante os 79 militares do exército português que partiram hoje à noite para o Afeganistão, onde ficarão nos próximos seis meses, no âmbito da missão da NATO "Resolute Support".

Na intervenção, facultada à Lusa pelo seu gabinete, Jorge Seguro Sanches aproveitou para transmitir aos militares, "de viva voz, o reconhecimento do Governo pelos esforços e sacrifícios que terão pela frente, a milhares de quilómetros de casa e sobretudo longe das famílias".

"Saibam que não estarão sozinhos nesta jornada de seis meses. Levam convosco a nossa força e confiança, pelo empenho e bravura que seguramente vão nortear o vosso trabalho, no âmbito da missão 'Resolute Support'", afirmou.

Para os militares para quem a viagem de hoje é "um regresso" ao Afeganistão, o secretário de estado falou numa "oportunidade para renovar o contributo que as Forças Armadas têm assegurado ao longo dos últimos quatro anos, nesta missão conduzida pela NATO, contribuindo para a estabilização do Afeganistão, capacitando as suas Forças Armadas e de Segurança".

"Há que sublinhar que os avanços têm sido graduais, e continua a ser necessária toda a persistência, determinação e profissionalismo de que são capazes - qualidades muito apreciadas e reconhecidas tanto pelos Afegãos, como pelos nosso aliados a par da elevada preparação", disse.

À "grande maioria" que com a viagem de hoje se estreia nas missões internacionais, Jorge Seguro Sanches dirigiu "uma palavra de alento e motivação".

"Sintam-se orgulhosos pela bandeira que representam, fortalecidos pelos valores que transportam e honrados pelos que, antes de vós, se entregaram a esta causa. Com o vosso esforço Portugal dá um contributo importante para a segurança e para a paz em diversas regiões do mundo", afirmou.

Os 79 militares do exército português que hoje partiram para o Afeganistão juntam-se a 126 que já estão naquele país.

De acordo com informação disponível no site oficial do Estado-Maior-General das Forças Armadas, "estes 205 militares constituirão a 4ª Força Nacional Destacada a integrar a missão 'Resolute Support' durante os próximos seis meses", compondo "quatro equipas em missão, nomeadamente, a Força de Reação Rápida, com a missão de vigilância e proteção ao aeroporto internacional Hamid Karzai, em Cabul, a Equipa de Assessoria e Treino à 'School of Artillery' e à 'Combat Arms School' do Exército Afegão, a equipa de aconselhamento de Operações Especiais e o Destacamento de apoio nacional".

A missão da NATO conta com 39 países, num total de 16 mil pessoas, entre militares e civis, "com a missão de construir um futuro mais seguro para o Afeganistão".

Na terça-feira regressam a Portugal os 138 militares da 3.ª Força Nacional Destacada.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório