Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

Edição

"Não conheço o currículo, mas se calhar já fez milhares de ecografias"

O bastonário dos Médicos admite que não conhece o currículo do médico Artur Carvalho, que fez as ecografias ao bebé sem rosto, nem "o conteúdo dos cinco processos" de que é alvo.

"Não conheço o currículo, mas se calhar já fez milhares de ecografias"

O Conselho Disciplinar da Ordem dos Médicos vai reunir-se, esta terça-feira, para avaliar com carácter de urgência os cinco processos que já existem contra o médico de Setúbal, Artur Carvalho, que fez as ecografias a Rodrigo, o bebé que ficou conhecido por ter nascido sem rosto.

Antes da reunião, o bastonário dos médicos, Miguel Guimarães falou aos jornalistas onde admitiu não conhecer o conteúdo dos cinco processos que envolvem o nome do médico Artur Carvalho nem o currículo do mesmo.

"Não sei do conteúdo dos cinco processos. A parte disciplinar da ordem é uma parte completamente diferente da parte executiva. É a chamada separação de poderes que existe nos regimes democráticos. Portanto, quem julga tem a independência de julgar e quem tem funções executivas não tem acesso aos processos que estão a ser julgados", explicou.

Sobre as competências de Artur Carvalho, o bastonário diz que não se pode pronunciar por não as conhecer. "Não conheço o currículo deste médico, mas se calhar já fez centenas ou milhares de ecografias na área da obstetrícia. Portanto eu não me posso estar a pronunciar sobre algo que não conheço", justificou.

Quanto à obrigatoriedade, por parte dos médicos, em comunicar às famílias mal formações nos fetos, Miguel Guimarães explicou que "depende das circunstâncias, mas em princípio são obrigados a comunicar à família" e, neste caso em específico, do bebé Rodrigo, "sim, tudo indica que sim, mas isso vai ser uma matéria que o Conselho Disciplinar da Região Sul vai analisar e vai tomar uma decisão".

Já sobre a conversa que teve com o médico de Setúbal, Miguel Guimarães frisa que apenas pode dizer que ele lhe transmitiu que "tinha decidido suspender a sua atividade na realização de ecografias obstetras".

No ar fica a questão sobre a possibilidade do médico em questão ser objetor de consciência e de pertencer a movimentos pró-vida, ou seja, contra o aborto, que o bastonário dos médicos garante não ter "nenhum conhecimento relativamente a essa matéria".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório