Meteorologia

  • 26 MAIO 2020
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 32º

Edição

Escola de Lisboa fechada em protesto por falta de pessoal não docente

Mais de uma dezena de trabalhadores não docentes estão concentrados desde as 08:00 de hoje frente à Escola Secundária Vergílio Ferreira, em Lisboa, em protesto contra a falta de pessoal nas 10 escolas do agrupamento.

Escola de Lisboa fechada em protesto por falta de pessoal não docente
Notícias ao Minuto

08:28 - 18/10/19 por Lusa

País Ensino

O pessoal não docente critica também a municipalização das escolas.

Em declarações à agência Lusa, Luís Esteves, do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas, adiantou que tal como em muitas escolas, o Agrupamento Vergílio Ferreira vive uma situação grave de falta de pessoal.

De acordo com o sindicalista, todas as escolas do agrupamento estão hoje de manhã encerradas devido a este protesto.

Na escola Vergílio Ferreira "existem 1.208 alunos para 20 funcionários, mas apenas em teoria, dado que deste total, quatro estão de baixa e cinco em trabalhos melhorados e horário reduzido devido à idade", disse.

Para Luís Esteves, o ideal seria reforçar esta escola com mais 10 funcionários.

"O facto é que os trabalhadores passam em constante correria entre diversas escolas do Agrupamento para tentar colmatar as faltas de pessoal não docente. Esta situação leva a um grande desgaste, disse.

Luís Esteves disse também ser lamentável que nem Ministério da Educação, nem a Câmara Municipal de Lisboa "queiram assumir que as escolas têm falta de trabalhadores não docentes.

O Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira integra a EB D. Luís da Cunha, EB Lumiar, EB Luz Carnide, EB Prista Monteiro, EB S. Vicente, EB Telheiras, EB nº1 Telheiras, ES Vergílio Ferreira, JI Horta Nova e JI Telheiras.

O Ministério da Educação anunciou em fevereiro a contratação de 1.067 funcionários para as escolas e a criação uma bolsa que permitisse aos diretores substituir trabalhadores de baixa médica.

A medida dos ministérios da Educação e das Finanças tinha por objetivo dar uma resposta às inúmeras queixas de diretores que, em alguns casos, tiveram de encerrar serviços destinados aos alunos -- como bar, biblioteca ou ginásios - ou mesmo que fechar a escola por falta de funcionários que garantissem a segurança dos estudantes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório