Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Roberto Leal, um símbolo que soube fazer a ponte entre Brasil e Portugal

O cônsul-geral de Portugal em São Paulo, Paulo Nascimento, disse hoje à Lusa que a morte do cantor Roberto Leal entristeceu a comunidade, já que ele era um símbolo que soube fazer a ponte entre o povo brasileiro e o português.

Roberto Leal, um símbolo que soube fazer a ponte entre Brasil e Portugal
Notícias ao Minuto

18:50 - 15/09/19 por Lusa

País Roberto Leal

"Fomos hoje confrontados com a notícia da morte do Roberto Leal e apesar de sabermos da doença dele foi uma surpresa. Há um sentimento enorme de carinho por ele que, ao longo da carreira, tornou-se um símbolo da comunidade e soube fazer uma boa ponte entre o povo brasileiro e o português", disse o cônsul-geral de Portugal.

"A música dele fazia esta fusão, era um ponto de ligação, entre a cultura portuguesa e a brasileira", acrescentou.

Manuel Magno Alves, presidente do Conselho da Comunidade Luso-brasileira do estado de São Paulo também lamentou a morte do cantor.

A comunidade portuguesa está muito consternada porque ele era um dos símbolos que tínhamos. Era uma espécie de embaixador da música portuguesa no Brasil e no mundo. Vai demorar um tempo para termos outro representante fazendo o que ele fazia", disse.

"Recebemos com choque a notícia da sua morte e, embora soubéssemos que estava doente, nos últimos meses Leal tinha retomado a agenda de shows e acreditávamos que ele pudesse ficar connosco mais tempo", acrescentou Magno Alves.

O presidente do conselho da Comunidade Luso-brasileira considerou também que Roberto Leal "era uma pessoa querida por todos, principalmente pela sua forma de ser e sua humildade".

Além dos representantes do Governo e da comunidade portuguesa no Brasil, Leal também foi homenageado nas redes sociais por grupos que promovem a cultura portuguesa do Brasil.

O Grupo Folclórico da Casa de Portugal em São Paulo publicou na rede social Facebook uma nota de pesar afirmando que o cantor era "um dos maiores expoentes da música portuguesa no mundo e, quiçá, o maior no Brasil".

"É uma grande perda, mas sem dúvida o seu legado será eterno e ouvido por diversas gerações. Tivemos a oportunidade e honra de nos apresentarmos algumas vezes ao vosso lado", completou.

Já a Associação Portuguesa de Desportos do Brasil também divulgou uma nota dizendo que "chora a perda do autor do hino atual do Clube, e presta os sentimentos de uma nação inteira pela perda do querido Roberto Leal, imigrante português que adotou o Brasil como sua terra e a Lusa como seu time [equipa] do coração".

Roberto Leal - nome artístico de António Joaquim Fernandes - dividiu a sua carreira entre Portugal e o Brasil, mas teve ainda passagens na política, no cinema e na televisão.

O cantor nasceu em Portugal, na aldeia transmontana Vale da Porca, concelho de Macedo de Cavaleiros, de onde em 1962 emigrou, aos 11 anos, para o Brasil, com os pais e os nove irmãos.

Em São Paulo, após trabalhar como sapateiro, vendedor de doces e feirante, iniciou o seu trabalho com a música e gravou o seu primeiro disco em 1970.

Um ano depois, alcançou o seu primeiro grande êxito com "Arrebita" e teve a sua primeira experiência na televisão brasileira, vindo a repeti-la em 2011, em Portugal, ao participar no programa da RTP "O Último a Sair".

"Arrebenta a Festa" foi o último disco editado em 2016 de uma discografia com mais de 50 discos.

Vendeu mais de 17 milhões de discos, conseguiu 30 Discos de Ouro e cinco de platina e ganhou vários prémios, entre os quais o Troféu Globo de Ouro, da TV Globo, em 1972.

Em 1979, protagoniza o filme "O Milagre - o Poder da Fé", uma história autobiográfica sobre a sua família e o culto pela fé.

Em 2011, publicou a sua autobiografia em Portugal e no Brasil.

Roberto Leal passou também pela política. Em 2018, candidatou-se a deputado estadual em São Paulo pelo Partido Trabalhista Brasileiro.

Em Portugal, aderiu ao PSD em 1991 e deu espetáculos durante a campanha para as eleições legislativas de 1991 e participou em comícios nas de 1995.

A sua carreira foi repartida entre Portugal e o Brasil, onde residia, apresentando-se como embaixador da cultura portuguesa no Brasil.

Deu também espetáculos em todas as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo.

Desde há dois anos enfrentava um cancro e ficou com problemas de visão e cegueira no olho direito devido aos tratamentos de radioterapia.

O velório do cantor vai decorrer na segunda-feira, na Casa de Portugal, na região central de São Paulo a partir das 07:00 (horário local) e até às 14:00.

O funeral está marcado para as 15:00 (horário local), no Cemitério Congonhas, na zona sul de São Paulo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório