Meteorologia

  • 24 AGOSTO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Adiado acórdão de Diana Fialho e de Iúri Mata

O Tribunal de Almada adiou hoje a leitura do acórdão do processo de Diana Fialho e de Iúri Mata, o casal acusado de matar a mãe adotiva da arguida, no Montijo, em setembro de 2018.

Adiado acórdão de Diana Fialho e de Iúri Mata
Notícias ao Minuto

15:01 - 19/07/19 por Lusa

País Tribunal

A leitura do acórdão estava prevista para esta tarde, mas o coletivo de juízes, presidido por Nuno Salpico, deu prazo às defesas dos arguidos para se pronunciarem quanto ao relatório pericial do equipamento informático que os mesmos tinham em casa, e que foi agora junto ao processo (com data de quinta-feira, 18 de julho), e quanto à alteração da qualificação jurídica do crime de homicídio qualificado, que o tribunal entende que deve ter a agravante de ter sido cometido por "motivo torpe, censurável", o que não consta da acusação do Ministério Público.

O coletivo de juízes considera que o homicídio qualificado deve ser enquadrado na alínea e) do Artigo 132 do Código de Processo Penal: e) Ser determinado por avidez, pelo prazer de matar ou de causar sofrimento, para excitação ou para satisfação do instinto sexual ou por qualquer motivo torpe ou fútil".

A próxima sessão ficou agendada para as 14:00 de 29 de julho, dia em que serão feitas novas alegações, mas que só irão incidir sobre o exame pericial agora junto ao processo e a alteração da qualificação jurídica do crime.

Nesse dia está previsto ser marcada nova data para a leitura do acórdão.

Segundo o despacho de acusação do Ministério Público (MP), os arguidos "gizaram um plano para matar Amélia Fialho, de 59 anos, e, ao jantar, colocaram fármacos na bebida da vítima que a puseram a dormir", tendo depois desferido "vários golpes utilizando um martelo", que causaram a morte da professora.

Após o homicídio, relata a acusação, os arguidos embrulharam o corpo e colocaram-no na bagageira de um carro, deslocando-se até um terreno agrícola, em Pegões, no Montijo, onde, com recurso a gasolina, "atearam fogo ao cadáver".

Na semana passada, nas alegações finais do julgamento, que decorre no Tribunal de Almada, no distrito de Setúbal, o procurador do MP, Jorge Moreira da Silva, defendeu que os arguidos sejam condenados, em coautoria, pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver.

O procurador pediu, assim, a pena máxima de 25 anos de prisão pelo crime cometido de forma "escabrosa e maquiavélica, com requintes de barbárie".

Para Jorge Moreira da Silva, estes factos ficaram provados através da reconstituição do crime efetuada por Iúri Mata à Polícia Judiciária (PJ), do sangue encontrado na viatura e na residência dos arguidos, que "chegava a atingir o teto", e das imagens nas bombas de gasolina, onde entraram separadamente para comprar combustível e um isqueiro (utilizados para carbonizar o corpo), o que mostra "o calculismo com que ambos funcionaram".

Já a defesa do casal acusado de matar a mãe adotiva da arguida pugnou pela absolvição dos seus constituintes por consider que não ficou provada a participação no crime, ocorrido em setembro de 2018, no Montijo.

O julgamento iniciou-se em 04 de junho e ambos os arguidos remeteram-se ao silêncio, enquanto uma inspetora da Polícia Judiciária (PJ), Fátima Mira, afirmou que foi o arguido que ajudou a "fazer o reconhecimento do crime", por se encontrar "arrependido na altura".

Foi em 07 de setembro de 2018 que a filha adotiva e o genro da vítima foram detidos e presentes a tribunal, o qual decretou a medida de coação de prisão preventiva. A arguida está no Estabelecimento Prisional de Tires, enquanto o homem no do Montijo.

A vítima, de 59 anos e professora de Físico-Química na Escola Secundária Jorge Peixinho, no Montijo, foi encontrada morta em 05 de setembro de 2018, em Pegões, no concelho do Montijo, distrito de Setúbal.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório