Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2019
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

Portugueses conservadores divididos entre Boris Johnson e Jeremy Hunt

A portuguesa Élia Carvalho quer aproveitar a eleição do sucessor de Theresa May na liderança do partido Conservador para influenciar a escolha do próximo primeiro-ministro britânico, favorecendo Jeremy Hunt.

Portugueses conservadores divididos entre Boris Johnson e Jeremy Hunt

"É uma oportunidade de votar numa eleição do primeiro-ministro que, como portuguesa e cidadã europeia, infelizmente, não terei oportunidade de o fazer numa eleição nacional", disse, em declarações à agência Lusa.

Élia Carvalho, 36 anos, é militante e foi candidata pelo partido Conservador nas eleições locais de 2018, mas sem a nacionalidade britânica não tem o direito de participar ou votar nas eleições legislativas.

Porém, o sucessor de Theresa May vai ser eleito pelos cerca de 160 mil militantes 'tories' através de um voto postal que começa hoje a chegar à maioria dos membros do partido.

"Vou votar no Jeremy Hunt", adiantou, explicando que acompanhou o trabalho deste enquanto ministro da Saúde, entre 2012 e 2018, por interesse profissional, já que trabalha na área, e que o seu desempenho como ministro dos Negócios Estrangeiros tem sido "bastante superior ao que foi desempenhado pelo Boris Jonhson".

Embora admita que "nenhum deles tem um plano claro e estruturado", confia mais em Hunt para resolver o impasse do 'Brexit', o qual admite que só será possível sem acordo.

"Penso que o Jeremy Hunt tem qualidades superiores de negociação, tem uma personalidade mais aprazível e considera o impacto na nação em termos de indústrias, população e espírito de união, tolerância e recetividade", acrescentou.

Já o compatriota Carlos de Freitas, de 38 anos, considera que Boris Johnson é o "candidato ideal" para resolver o 'Brexit', embora também reconheça potencial em Jeremy Hunt.

"Boris tem sido bastante firme na sua posição em relação à saída do Reino Unido da União Europeia no dia 31 de outubro. Esta é a questão central destas eleições e o ponto de partida para unir o partido e a nação, e também para levar o partido até as próximas eleições gerais. Daí que o Boris tenha o meu apoio nestas eleições", explicou à Lusa.

A maioria dos 160 mil militantes do partido Conservador vai começar hoje a receber os boletins para escolher entre Boris Johnson ou Jeremy Hunt como novo líder, o qual também vai suceder Theresa May à frente do governo britânico.

A distribuição do correio feita ao sábado no Reino Unido vai garantir que muitos dos conservadores possam tomar a decisão durante o fim de semana e devolver o voto postal no envelope com poste pago nos próximos dias, embora tenham mais duas semanas para o fazer.

O boletim de voto tem de chegar aos serviços do partido até às 17:00 de 22 de julho (mesma hora em Lisboa) para ser contabilizado, sendo o vencedor anunciado no dia seguinte.

Theresa May renunciou à liderança do partido Conservador a 07 de junho devido às dificuldades em fazer aprovar o acordo de saída que concluiu com Bruxelas em novembro, mas continua como chefe de governo até ao anúncio do sucessor.

A 24 de julho, a primeira-ministra britânica deverá participar na última sessão de respostas aos deputados na Câmara dos Comuns, seguindo-se a demissão junto da rainha Isabel II, que nomeará o líder do partido com maioria no parlamento para chefiar o governo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório