Meteorologia

  • 20 JUNHO 2019
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

SEF identifica 15 pessoas por imigração ilegal e tráfico de pessoas

No estabelecimento de diversão noturna fiscalizado pelo SEF estavam quatro mulheres em situação ilegal em Portugal e uma sobre a qual há "fortes indícios" que tenha sido vítima de tráfico.

SEF identifica 15 pessoas por imigração ilegal e tráfico de pessoas
Notícias ao Minuto

19:35 - 24/05/19 por Natacha Nunes Costa 

País Tráfico de pessoas

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) fiscalizou, esta semana, um estabelecimento de diversão noturna, localizado em Santo Tirso, onde identificou 15 trabalhadores, três homens e 12 mulheres, por crimes relacionados com auxílio à imigração ilegal e tráfico de pessoas.

Num comunicado enviado ao Notícias ao Minuto, o SEF esclarece que há fortes indícios de que uma das cidadãs identificada seja vítima de tráfico de pessoas e imigração ilegal. Em situação de permanência irregular em Portugal encontravam-se outras quatro mulheres que, alegadamente, trabalhavam no espaço.

Perante tais situações, o SEF levantou vários processos de contraordenação à empresa, por utilização de atividade de cidadão estrangeiro em situação ilegal, cujas coimas variam entre os dois mil euros e os dez mil euros, assim como a falta de comunicação de alojamento ao SEF, cujas penas poderão oscilar entre os 100 e os dois mil euros.

Ainda esta semana, o SEF identificou seis cidadãos estrangeiros, na zona de Alcoentre, que não estavam autorizados a trabalhar em Portugal. Três foram notificados para abandonar o Espaço Schengen no período de 20 dias e um foi detido por já ter sido avisado que tinha de sair do território nacional e não ter acatado a ordem.

O detido já foi presente a tribunal , para primeiro interrogatório judicial ,e ficou obrigado a apresentações periódicas e quinzenais numa esquadra.

No mesmo comunicado, o SEF esclarece que, por haver suspeita que este grupo de cidadãos estrangeiros pagavam elevadas quantias de dinheiro para conseguirem a sua legalização em Portugal, foram constituídos arguidos a entidade patronal e respetiva empresa.

Decorrem agora investigações criminais para o caso ser esclarecido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório