Meteorologia

  • 25 JUNHO 2019
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 24º

Edição

Aeroporto: Suspeita de tráfico de pessoas trazia consigo menina 9 anos

Suspeita dizia ser a mãe da menor mas esta afirmou às autoridades que não conhecia a senhora e que os seus pais se encontravam no Congo.

Aeroporto: Suspeita de tráfico de pessoas trazia consigo menina 9 anos

Uma cidadã estrangeira foi detida, esta quinta-feira, no Aeroporto de Lisboa por ser suspeita de tráfico de pessoas e auxílio à imigração ilegal, proveniente de um voo de Accra, com paragem em São Tomé, faz saber o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) em comunicado. 

A suspeita fazia-se acompanhar de uma criança de nove anos que alegou ser sua filha, mas tendo-se verificado depois não corresponder à verdade. 

Ambas as passageiras não tinham documentos, tendo sido feitas várias consultas à lista de passageiros, cruzando-as com as identidades verbalmente declaradas. Igualmente, foram efetuadas consultas ao sistema europeu de vistos, no qual se verificou que constavam sobre a identidade da alegada mãe da criança vários pedidos de visto, todos com parecer negativo.

Em conversa informal com os inspetores do SEF, a cidadã estrangeira acabou por dizer que afinal era tia, e não mãe, da criança, que os seus passaportes tinham ficado na posse de um cidadão congolês e que vinham em turismo para Portugal.

Já a menor, afirmou não conhecer a senhora que a acompanhava e que os seu pais se encontravam no Congo. O SEF refere desconhecer, para já, os titulares do poder parental e o seu paradeiro, bem como as reais intenções do propósito da viagem.

Certo é que a situação se enquadra no ‘modus operandi’ detetado já várias vezes pelo SEF e que consiste na aquisição de bilhete de viagem para destino que permita trânsito em Schengen, sem necessidade de visto de escala, apresentando-se, posteriormente, na fronteira nacional sem documentos.

A menor, depois de ouvida no DIAP, foi encaminhada para uma casa segura. A adulta que a acompanhava ficou detida, e será hoje presente às autoridades judiciais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório