Meteorologia

  • 17 JUNHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Melo diz que Costa está nervoso, mas diz perdoá-lo por "caridade cristã"

O cabeça de lista do CDS às europeias atribuiu hoje a "nervosismo" os ataques do PS contra a direita, por a campanha socialista estar a correr mal, mas promete perdoar a António Costa por "caridade cristã".

Melo diz que Costa está nervoso, mas diz perdoá-lo por "caridade cristã"
Notícias ao Minuto

11:17 - 15/05/19 por Lusa

Política Europeias

Nuno Melo começou o terceiro dia de campanha oficial para as europeias com uma visita ao mercado de Cascais, Lisboa, uma freguesia presidida pelo CDS, onde teve o apoio do ex-ministro Pires de Lima e respondeu ao discurso da véspera de António Costa, secretário-geral do PS e primeiro-ministro, e do candidato socialista Pedro Marques.

"Nervosismo", disse por duas vezes, para explicar a atitude do chefe do executivo sobre quem, nos últimos dias, tem dito que é "o verdadeiro" candidato ao Parlamento Europeu do PS e não Pedro Marques.

"Nervosismo. Eu percebo que quem parte alavancado em sondagens achando que as sondagens são urnas e percebe que as coisas não estão a correr bem fique nervoso", afirmou Melo, junto a uma banca de peixe, com robalos, rubinas, salmonetes e carapaus.

No CDS, por que é de direita e está, disse, habituado às dificuldades e já tem "uma carapaça" por causa de sondagens que dão resultados baixos que depois não se confirmam no dia das eleições.

Ainda assim, disse, que "há expressões escusadas, despropositadas" porque se pode fazer uma campanha "sem violência verbal", admitindo que o CDS pode ser duro nos seus argumentos, "sem depreciar ninguém pessoalmente".

E, por fim, formulou um desejo a Costa: "Que tenha uma campanha tranquila, que perceba que há mais vida além da política. Nós perdoamos ao dr. António Costa", conclui.

Na terça-feira, num comício do PS em Faro, António Costa fez a defesa do "número um" europeu dos socialistas, Pedro Marques, e atacou o CDS-PP e o PSD, sobretudo os cabeças de listas europeus destes partidos, respetivamente Nuno Melo e Paulo Rangel.

"Há uma enorme diferença entre aqueles que escolhem bons candidatos para aparecer na televisão e aqueles que escolhem bons deputados para representar toda a nação. Por isso, Pedro [Marques] sê igual a ti próprio, nós somos iguais a nós próprios", disse.

De acordo com o líder socialista, o PS não vai "entrar num concurso de piadinhas nem em campanha suja".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório