Meteorologia

  • 19 JUNHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

Após 10 anos preso, agressor sexual volta a atacar em Lisboa

Em causa estão crimes de rapto, violação e roubo sobre quatro jovens. Suspeito foi libertado em março, voltando à prática dos crimes durante este mês de abril.

Após 10 anos preso, agressor sexual volta a atacar em Lisboa

A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, deteve um homem de nacionalidade portuguesa, com 38 anos de idade, por fortes indícios da prática dos crimes de rapto, violação e roubo sobre quatro jovens mulheres.

A PJ explica em comunicado que o suspeito fora libertado em finais do mês de março de 2019, após cumprimento de pena de prisão pelo período de 10 anos, na sequência de condenação pela prática de crimes de natureza sexual.

Tinha como modus operandi, detalha a autoridade, a realização de viagens em transporte público na cidade de Lisboa durante os períodos da noite e madrugada, observando potenciais vítimas.

Quando estas saíam em determinada paragem, o suspeito saía também e perseguia as vítimas, abordando-as posteriormente com violência e coagindo-as a acompanhá-lo até locais isolados onde consumava a  agressão sexual, chegando por vezes a roubar bens e dinheiro que aquelas tivessem na sua posse.

Os factos ocorreram durante o mês de abril de 2019, ou seja, logo depois de ter sido libertado. 

Após realização de diligências em função das várias denúncias efetuadas, a Polícia Judiciária localizou e deteve, na madrugada desta sexta-feira, o suspeito.

A PJ sublinha ainda  que, no desenvolvimento da investigação destas situações recentes, foi igualmente indiciada um crime idêntico, ocorrido em abril de 2016, durante uma saída precária do arguido.

Decorrem diligências de pesquisa e recolha de informação para apurar a eventual existência de outras notícias de crimes de natureza sexual que possam ter sido praticadas pelo suspeito ora detido.

O agressor, reincidente em crimes desta natureza, foi presente a primeiro interrogatório judicial de arguido detido esta sexta-feira, para aplicação de medida de coação adequada e aguarda os ulteriores termos do processo em prisão preventiva.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório