Meteorologia

  • 16 OUTUBRO 2019
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Edição

Combustíveis? É preciso "normalizar" o caos. O resto é "entre privados"

O Presidente Marcelo refere-se, em concreto, à greve dos motoristas de matérias perigosas que está a gerar complicações nos postos de combustível e aeroportos.

Combustíveis? É preciso "normalizar" o caos. O resto é "entre privados"

Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa assegurou que está a acompanhar a greve dos motoristas de matérias perigosas, que teve início esta segunda-feira e que se prolongará por tempo indeterminado.

Referiu o Presidente da República, que tem estado em contacto com o Governo, que está "preocupado em tentar normalizar a situação". O chefe de Estado recordou ainda que este é um momento particularmente sensível, já que "há muitas famílias que têm tradição de ir à terra na Páscoa e que programaram a sua vida nesse sentido". Viagens que, face à escassez de combustível nos postos de abastecimento, podem vir a ser condicionadas.

Torna-se, por isso, imperioso "normalizar a situação, independentemente do problema laboral, que é entre privados, e de exercício do direito constitucional à greve".

Os motoristas reivindicam o reconhecimento da categoria profissional específica. Face à situação, recorde-se, o Governo decidiu, esta terça-feira, publicar em Diário da República "a requisição civil dos motoristas aderentes à greve nas empresas em que se encontra comprovado o incumprimento dos serviços mínimos".

A portaria refere que, nos dias 16, 17 e 18 (entre hoje e quinta-feira), "os trabalhadores motoristas a requisitar devem corresponder aos que se disponibilizem para assegurar funções em serviços mínimos e, na sua ausência ou insuficiência, os que constem da escala de serviço".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório