Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

Edição

Nas próximas 48 horas são esperadas cheias, ventos fortes e trovoadas

Diga adeus à primavera porque é o inverno que está a bater à porta. Mas não se desespere, é expectável que no final da semana o estado do tempo volte a ser ameno.

Nas próximas 48 horas são esperadas cheias, ventos fortes e trovoadas

A Proteção Civil lançou, esta segunda-feira, um alerta à população uma vez que é esperado, nas próximas 48 horas, um agravamento do estado do tempo.

Este agravamento, refere a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), inclui períodos de chuva por vezes forte e persistente nas regiões norte e centro, passando a aguaceiros que “poderão ser fortes, de granizo e acompanhados de trovoada” entre o “início da tarde de terça-feira e o final da manhã de quarta-feira.

Para as próximas 48 horas são esperadas também rajadas de vento de até 80 km/h a norte do cabo Mondego, uma velocidade que subirá para os 100 km/h nas regiões norte e centro a partir da tarde de amanhã e até ao início da manhã de quarta-feira.

A partir do final do dia de amanhã é expectável que se registe queda de neve acima dos 1.200/1.400 metros de altitude ao mesmo tempo que a agitação marítima na costa ocidental se deverá agravar com ondas de sudoeste a atingir os 4,5 metros e podendo chegar mesmo aos 5 metros.

Face a estas previsões, a Proteção Civil alerta para a “possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis, danos em estruturas montadas ou suspensas, possibilidade de queda de ramos ou árvores e possíveis acidentes na orla costeira”, não sendo de descartar a possibilidade de ocorrência de deslizamento de terras “associado à saturação dos solos, pela perda da sua consistência”.

Face ao exposto, a Proteção Civil recomenda à população que proceda à “desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas”, que “não atravesse zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas” e que coloque correntes de neve nas viaturas nas áreas afetadas.

É também pedido às pessoas que evitem passeios junto à orla costeira e que não pratiquem atividades relacionadas com o mar, incluindo a pesca desportiva.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório