Meteorologia

  • 21 AGOSTO 2019
Tempo
24º
MIN 20º MÁX 27º

Edição

Câmara de Lisboa exorta Governo a concluir obras na Escola António Arroio

A Câmara de Lisboa aprovou hoje uma moção do PCP exortando o Governo a concluir com urgência as obras na Escola Artística António Arroio, que na semana passada esteve três dias sem aulas devido a problemas elétricos.

Câmara de Lisboa exorta Governo a concluir obras na Escola António Arroio
Notícias ao Minuto

22:26 - 27/02/19 por Lusa

País Ensino

A moção, que foi votada favoravelmente por todas as forças políticas, com exceção do PSD, que se absteve, exorta "o Governo, através do Ministério da Educação, a proceder com a máxima urgência à conclusão das obras de requalificação da Escola Artística António Arroio".

O vereador da Educação, Manuel Grilo (BE), que tem um acordo para o governo do concelho de Lisboa com o PS, também subscreveu a moção, considerando "um escândalo" a forma como as obras foram interrompidas a meio naquele estabelecimento de ensino, em 2009.

A escola onde estudaram Mário Cesariny, Júlio Pomar ou Joana tem espaços em estaleiro, que estão interditos, onde as obras foram interrompidas, e não tem cantina.

O PSD, através do vereador João Pedro Costa, levantou também a questão da educação em Lisboa, com moções contra a falta de pessoal não docente e pedidos de informação sobre a situação de obras em curso nas escolas.

"Mais de dez escolas estão em obra, com mais de 365 dias de atraso", apontou João Pedro Costa.

O vereador social-democrata quer saber quantos alunos estão a ter aulas em pré-fabricados e quantas dessas estruturas estão montadas em escolas da capital que estão a ser alvo de obras.

Manuel Grilo respondeu que os atrasos nas obras "devem-se a imposições legais decorrentes dos processos de contratação pública ou a processos com os empreiteiros".

No mesmo sentido, respondeu que a Carta Educativa do concelho está a "sofrer um atraso significativo" devido a novas exigências legais que deve incorporar.

Na reunião de hoje, Manuel Grilo apresentou uma saudação ao Dia Internacional da Mulher e à "greve feminista do 8 de Março", referindo as manifestações marcadas para Lisboa e pelo país.

A saudação foi aprovada com a abstenção do PCP e do CDS-PP e os votos favoráveis das restantes forças políticas, tendo a vereadora da Habitação, Paula Marques (Cidadãos por Lisboa, eleita na lista do PS), pedido para subscrever o documento.

A câmara aprovou também uma moção apresentada pelo PCP de saudação do Dia Internacional da Mulher, "como uma jornada de comemoração mas também de homenagem à luta pelos direitos das mulheres, em Portugal e no mundo".

O vereador comunista Jorge Alves argumentou que o PCP não podia votar favoravelmente o texto apresentado pelo BE, considerando que o movimento pelos direitos das mulheres é mais vasto do que os movimento feministas, referidos na saudação dos bloquistas, assim como recusa a menção à Rede 8 de Março, pela defesa que esta organização faz da regulamentação da prostituição.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório