Meteorologia

  • 26 MARçO 2019
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Sindicato de dirigente em greve de fome foi recebido pela Casa Civil

A Casa Civil do Presidente da República recebeu esta quarta-feira a direção do Sindicato Democrático dos Enfermeiros (SINDEPOR), mas recordou aos responsáveis que a greve daqueles profissionais de saúde é "matéria da competência do Governo".

Sindicato de dirigente em greve de fome foi recebido pela Casa Civil
Notícias ao Minuto

20:20 - 20/02/19 por Lusa

País Belém

"A direção do SINDEPOR, presidida pelo senhor enfermeiro Carlos Ramalho, solicitou esta tarde uma audiência e uma reunião realizou-se de imediato com a Casa Civil. O senhor enfermeiro Carlos Ramalho não quis participar nesta reunião, na qual a Casa Civil tomou conhecimento dos diferentes elementos apresentados pela direção do sindicato, que transmitiu ao Presidente da República, e recordou que se trata de matéria da competência do Governo", lê-se numa nota divulgada no site da Presidência da República.

Na mensagem é ainda referido que o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, que se deslocou hoje a Madrid, "está naturalmente a acompanhar a situação relativa aos enfermeiros, como tem declarado publicamente".

"Os membros da Direção do SINDEPOR agradeceram a disponibilidade da Presidência da República para os receber", é adiantado na nota.

A mensagem foi divulgada no site da Presidência da República já depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter falado aos jornalistas, em Madrid, sobre a greve dos enfermeiros, reiterando que só se irá pronunciar sobre a greve dos enfermeiros depois de conhecer a posição do tribunal à questão.

"Eu estou à espera da decisão do tribunal que, como sabem, tem prazos muito curtos e vamos ver qual é essa decisão e, depois, me pronunciarei", disse Marcelo Rebelo de Sousa à margem da cerimónia de inauguração do centro de operações logísticas de uma empresa portuguesa.

O chefe de Estado disse ainda que aguardava notícias sobre o estado de saúde do presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros, Carlos Ramalho, que entrou em greve de fome e a meio do dia e está à porta da residência oficial do Presidente da República, no Palácio de Belém, em Lisboa.

Na nota da Presidência da República divulgada posteriormente é referido que o chefe de Estado "deu instruções à sua equipe médica para se disponibilizar para acompanhar o senhor enfermeiro, que já o contactou e se inteirou do seu bom estado de saúde".

O presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal remeteu esta quarta-feira para o Governo a responsabilidade de decidir quando terminará a greve de fome que o iniciou contra a forma como a tutela tem lidado com a greve cirúrgica.

O sindicalista, que chegou aos jardins junto ao Palácio de Belém depois das 12h30, disse aos jornalistas que a greve de fome só terminará quando o Governo voltar a chamar os enfermeiros para negociações.

Marcelo Rebelo de Sousa discursou esta manhã em Madrid como convidado de honra na cerimónia de entrega do Prémio Mundial Paz e Liberdade ao rei de Espanha, Felipe VI, no congresso da Associação Mundial de Juristas.

Da parte da tarde inaugurou um investimento de 85 milhões de euros que a empresa Luís Simões fez na construção de centro de operações logísticas com a espanhola Montepino.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório