Meteorologia

  • 16 FEVEREIRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 14º

Edição

"Porque é que o Costa não é investigado por coação aos enfermeiros?"

A greve cirúrgica dos enfermeiros e o braço-de-ferro com o Governo parece não ter fim. Depois de o Executivo ter anunciado que vai utilizar a requisição civil como instrumento para colocar um fim à greve, os enfermeiros já fizeram saber que não vão atirar a toalha ao chão e responderam com uma providência cautelar.

"Porque é que o Costa não é investigado por coação aos enfermeiros?"
Notícias ao Minuto

10:20 - 11/02/19 por Patrícia Martins Carvalho 

País Garcia Pereira

A tensão continua a acumular-se entre Governo e enfermeiros. A discussão sobre a legitimidade da greve cirúrgica continua a ganhar apoiantes nos dois lados da barricada.

Nesta senda, e face à requisição civil anunciada pelo Executivo de António Costa, o sindicato dos enfermeiros, representado judicialmente pelo advogado Garcia Pereira, irá avançar com uma intimação.

O causídico foi o convidado de domingo à noite da TVI24 para expor o ponto de vista dos enfermeiros face à opinião contrária de outro advogado.

Na antena da estação de Queluz, Garcia Pereira garantiu que “é mentira” que exista “incumprimento dos serviços mínimos em quatro unidades hospitalares”, desconstruindo assim aquela que é a principal justificação do Executivo para a utilização da requisição civil.

Em Leiria chegou-se ao cúmulo de se transmitir a um doente que a sua cirurgia não se ia realizar por culpa da greve dos enfermeiros - isto quando o médico que a deveria ter realizado passou o dia no seu consultório privado e em Leiria não há greve cirúrgica de enfermeiros

Este, referiu Garcia Pereira, é apenas um “das dezenas de casos que demonstram a falsidade desse motivo genericamente invocado” pelo Governo como é o caso, denunciou, da “modificação da prioridade atribuída a doentes”.

“A doentes que tinham uma prioridade que não justificava uma intervenção cirúrgica imediata, esta prioridade foi alterada para entrar no universo da requisição civil”, acusou o advogado, frisando que os “enfermeiros repudiam com total veemência esta tentativa de manipulação da opinião pública sistematicamente repetida pelo Governo”.

E quanto à investigação da ASAE ao dinheiro recolhido pelos enfermeiros em crowdfunding, Garcia Pereira sugere que investigada seja também a conduta do primeiro-ministro.

“Um primeiro-ministro que vem gritar que uma greve é selvagem… porque é que o Ministério Público não investiga isso? Não é um ato de coação sobre os grevistas?”, questionou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório