Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2019
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 23º

Edição

Polémica com refeições deixa bombeiros de Proença-a-Nova "magoados"

Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova reagiu, esta quarta-feira, à polémica que se instalou com a divulgação, no início do mês, de um relatório da Inspeção-Geral da Administração Interna.

Polémica com refeições deixa bombeiros de Proença-a-Nova "magoados"

Existem disparidades entre os pedidos de pagamentos sobre o fornecimento de refeições e o número de operacionais no terreno aquando do incêndio que deflagrou nos concelhos da Sertã, Proença-a-Nova e Mação, em julho de 2017.

Esta foi a conclusão do relatório da Inspeção-Geral da Administração Interna que admite a existência de faturas falsas neste âmbito, razão pela qual defende a realização de uma auditoria que apure se há, ou não, atos ilícitos criminais nesta matéria.

Uma das corporações de bombeiros envolvidas na polémica é a de Proença-a-Nova, razão pela qual emitiu, esta quarta-feira, uma reação ao relatório na qual assegura não ter sido, até ao momento, “notificada pelas entidades competentes sobre este assunto, nem teve acesso ao relatório referido nos órgãos de comunicação social”.

Mas, face ao que foi noticiado, a corporação garante que “repudia veemente o tipo de práticas denunciadas” por defender que os bombeiros existem para “servir a população” numa atuação que, no caso de Proença-a-Nova, é “pautada pela transparência, competência e profissionalismo”.

A Associação Humanitária considera ainda que as notícias em causa colocam em causa “todos aqueles que, de forma voluntária, se associaram aos bombeiros e de forma abnegada e altruísta ajudaram na realização das várias refeições, evidenciando um espírito solidário”.

Face ao exposto, e porque este relatório foi tornado público “numa altura em que estão a decorrer negociações importantíssimas com o Governo”, a corporação de Proença-a-Nova diz-se atingida no seu “bom nome”.

“Sentimo-nos magoados e atingidos no nosso bom nome com a exposição negativa que a nossa instituição foi alvo. Exigimos, por isso, o necessário e cabal esclarecimento de toda a situação, estando disponíveis para apresentar toda a documentação que dispomos e evidenciam a verdade dos factos”, remata a corporação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório