Meteorologia

  • 22 MARçO 2019
Tempo
20º
MIN 20º MÁX 22º

Edição

Mortalidade acima do esperado deve-se ao "frio extremo" que afeta idosos

A Direção-Geral da Saúde (DGS) justificou hoje a mortalidade com valores acima do esperado em janeiro, apesar da intensidade moderada da gripe, com o "frio extremo" que "descompensa" os mais idosos e com doenças crónicas.

Mortalidade acima do esperado deve-se ao "frio extremo" que afeta idosos
Notícias ao Minuto

20:01 - 31/01/19 por Lusa

País DGS

De acordo com a DGS, que deu hoje uma conferência de imprensa com outras entidades do setor da saúde, durante o mês de janeiro até quarta-feira, dia 30, houve 12.380 óbitos, mais 660 mortes face à média do mês de janeiro dos últimos cinco anos.

O boletim semanal da gripe, hoje divulgado, revela que, na semana passada, a atividade gripal voltou a ter uma intensidade moderada, com tendência para crescer, e mortalidade "por todas as causas" com valores acima do esperado.

A diretora-geral da Saúde, Graça Feitas, explicou que janeiro, por regra, é o mês do ano em que "ocorre mais frio" e circulam mais vírus respiratórios, não só o da gripe, mas outros.

Graça Freitas esclareceu que a mortalidade "por todas as causas" tem valores acima do esperado, apesar da intensidade moderada da gripe, devido aos "dias extremamente frios" que ocorreram em janeiro.

"Mesmo na ausência de atividade gripal, o frio é fator de morte, de descompensação", disse a diretora-geral da Saúde, assinalando que são os idosos e com doenças crónicas os mais atingidos.

Apesar da "forte pressão" sobre os serviços de saúde, incluindo urgências de hospitais, a DGS considera que têm conseguido, "de um modo geral", dar resposta.

Segundo a Direção-Geral da Saúde, a atividade gripal vai continuar "nas próximas semanas".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório