Meteorologia

  • 24 ABRIL 2019
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Anti-fascistas e apoiantes de Salazar. Opostos manifestam-se na capital

Anti-fascistas e apoiantes de Salazar saem hoje à rua, em Lisboa, à mesma hora. Os primeiros no Rossio, os segundos vão marchar do Lago do Rato até à Assembleia da República.

Anti-fascistas e apoiantes de Salazar. Opostos manifestam-se na capital
Notícias ao Minuto

09:15 - 01/02/19 por Melissa Lopes 

País Lisboa

Lisboa vai ser esta sexta-feira palco de duas manifestações: de um lado vão estar antifascistas e anti-racistas, do outro estarão manifestantes pelo lema ‘Salazar faz muita falta’. 

Não nos equivocamos se considerarmos que na rua estarão lados opostos. E não consta que os opostos se atraiam efetivamente como nos romances.

Marcada para as 18h30, aManifestação contra o Fascismo!’, que junta dezenas de associações – entre as quais a SOS Racismo -, afirma que “o capitalismo alimenta o racismo e o fascismo para nos dividir”. Por isso, apelam, “não deixemos que alastrem pelos nossos bairros e entrem nas nossas vidas”.

“O fascismo sempre espreita, a sua essência nasce com um sistema de domínio que nos reprime desde o início das nossas vidas. As elites financeiras fomentam o permanente aumento das desigualdades sociais e,consequentemente, da repressão a todas as pessoas que contra elas resistem”, pode ler-se.

E, neste ‘caldo’, “facilmente germinam ideias racistas e xenófobas, tentando encontrar o bode expiatório nas minorias que mais sofrem com este sistema”. Os organizadores desta manifestação recordam que em países como o Brasil, os Estados Unidos, Itália, Hungria, Polónia, Suécia, onde a extrema-direita “pelo voto já subiu ao poder” e noutros, como Espanha, França, Áustria, “cada vez começa a ganhar mais aceitação social”. A ‘Manifestação contra o Fascismo!’, onde estarão presentes também alguns artistas, sai à rua, a partir das 18h30, no Rossio, com concertos e convívio a partir das 20h30 no Largo Camões.

Quanto à outra mobilização, ‘Salazar faz muita falta’, organizada pelo movimento de extrema-direita ‘Nova Ordem Social’, liderado por Mário Machado, o encontro será das 19 horas às 21 horas, numa marcha do Largo do Rato até à Assembleia da República.

Estas duas manifestações acontecem depois de umas semanas em que na ordem do dia esteve o episódio no bairro da Jamaica, no Seixal, e que originou acusações de abuso policial e de racismo, a que se seguiram protestos, um dos quais na avenida da Liberdade, onde população negra do bairro no centro da polémica e que acabaria com desacatos, com a polícia a disparar balas de borracha.

A polémica em torno da intervenção policial no bairro da Jamaica ultrapassou fronteiras, tendo o jornal Guardian dedicado uma reportagem ao assunto, com o título 'Brutalidade policial revela realidade urbana de Portugal', em português, falando da "má semana" vivida em Lisboa. 

Ao longo dessa semana, a tensão pairou no ar. Polémica foi também a reação do dirigente da SOS Racismo ao vídeo da intervenção da polícia no Bairro da Jamaica. A expressão “bosta da bófia” - usada em reação ao vídeo da intervenção policial no bairro – intensificou o debate e fez a polémica subir de tom.

Revoltados com a reação de Mamadou Ba, elementos do PNR fizeram uma espera ao dirigente associativo, acusando-o de ser o próprio a fomentar o racismo. Associado desde a primeira hora ao caso do Bairro da Jamaica (Joana Mortágua divulgou o vídeo da intervenção policial), o Bloco de Esquerda viu vários dos seus dirigentes a serem ameaçados de morte nas redes sociais. Com o passar dos dias, a tensão parece ter amainado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório