Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2019
Tempo
17º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

Refugiados terão impacto económico e demográfico mínimo na Europa

A Europa recebeu um recorde de refugiados nos últimos cinco anos, mas que em termos demográficos e económicos terá um impacto mínimo, pelo que a crise política que gerou não se justifica, segundo um relatório publicado hoje pela OCDE.

Refugiados terão impacto económico e demográfico mínimo na Europa
Notícias ao Minuto

12:30 - 11/01/19 por Lusa

País OCDE

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sublinhou que os refugiados trarão um aumento na população em idade ativa nos países europeus em cerca de 0,33% até 2020.

No relatório divulgado hoje sobre as formas de melhorar a integração de refugiados e outros imigrantes vulneráveis, a OCDE referiu que, em particular entre as mulheres, estas darão uma contribuição perto de 0,25%.

Em alguns países, o efeito do fluxo de refugiados será mais aparente: na Áustria, Grécia e Suécia, os refugiados recentes aumentarão a força de trabalho em até 0,5% e na Alemanha em até 0,8%. Na Turquia, os refugiados sírios já representam cerca de 3% da população em idade ativa.

Os autores do relatório, que tem como base os países da OCDE - observaram que alguns estudos mostram que a complementaridade entre as competências laborais dos refugiados e dos nativos pode ter consequências positivas, embora em certos setores possam haver efeitos negativos significativos.

Isso significa que alguns refugiados entram em competição no mercado de trabalho com os nativos, algo que é encontrado na Turquia, o país com o maior número de refugiados do mundo.

Quanto aos custos para integrar os refugiados, variam muito de um país para outro, mas estão entre 0,1% e 1% do Produto Interno Bruto (PIB).

Os autores do relatório enfatizam que esse dinheiro é um investimento e que, mais tarde, essas pessoas contribuirão para a economia dos Estados recetores.

Ao contrário da impressão geral, os sistemas dos países da OCDE mostraram-se "amplamente capazes" de enfrentar esses fluxos inesperados de população que necessita de proteção, segundo o documento da organização.

No entanto, a ausência de planos de previsão para esse tipo de crise, além de implicar em maior custo financeiro, gera na opinião pública a perceção de fluxos descontrolados.

Os requerentes de asilo e refugiados nos países da OCDE passaram de dois milhões em meados de 2013 para 5,9 milhões quatro anos depois, e o primeiro recetor foi a Turquia, onde em novembro de 2018 havia 3,6 milhões de sírios.

Os países europeus receberam quatro milhões de pedidos de asilo (960 mil sírios) entre janeiro de 2014 e dezembro de 2017 e cerca de 1,6 milhão receberam o estatuto de refugiado (780 mil sírios).

O ritmo de novas solicitações de asilo começou a diminuir no segundo semestre de 2016 e esse declínio continuou nos últimos dois anos, com uma média entre 50.000 e 60.000 por mês, em comparação as 130.000 entre julho de 2015 e setembro de 2016.

Com base nas recomendações do Pacto Global sobre Refugiados e no trabalho da OCDE, o relatório também identificou uma série de políticas para melhorar a integração dos refugiados e imigrantes vulneráveis. Esses incluem, por exemplo, aumentar a cooperação e colaboração internacional.

Outras recomendações foram: intensificar os esforços para ajudar refugiados e migrantes vulneráveis ??a encontrar e permanecer no trabalho; trabalhar mais de perto com uma ampla variedade de partes interessadas envolvidas na integração de migrantes, incluindo a sociedade civil, o setor privado, os parceiros sociais e órgãos governamentais a nível subnacional.

Ainda estabelecer uma estratégia clara de integração a longo prazo, incluindo provisões para países de retorno à origem, quando justificado; e um plano de crise também é necessário para identificar parceiros, canais de comunicação e responsabilidades diante de grandes afluxos de pessoas que buscam proteção.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório