Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2019
Tempo
18º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

Ex-militar da Força Aérea chefia formação de controladores aéreos

Rui Madeira é um ex-militar da Força Aérea que se despediu a um ano da reforma para ir trabalhar para a NATO no Afeganistão, em 2009, e assume hoje a chefia da torre de controlo do aeroporto de Cabul.

Ex-militar da Força Aérea chefia formação de controladores aéreos
Notícias ao Minuto

18:14 - 16/12/18 por Lusa

País Cabul

Como consultor civil contratado por uma empresa norte-americana, Rui Madeira lidera também um projeto de formação dos futuros controladores aéreos afegãos, com quem trabalha e com quem convive diariamente, fora da base, em ocasiões festivas.

"O Afeganistão primeiro estranha-se, depois entranha-se. A vida no Afeganistão é feita de rotinas", disse, acrescentando que quando sai da base se veste como os afegãos e usa o "pakol", um chapéu tradicional da região de Cabul, admitindo que "há algum medo de vez em quando" porque "só quem é louco não tem medo".

"O ano passado caíram aqui 49 bombas numa manhã. São dias em que temos que nos esconder", disse.

Gerida pela missão da NATO, a torre de controlo é "toda civil e o controlo feito por civis, 13 estrangeiros e 33 afegãos" dos quais 18 estão "completamente qualificados" bem como alguns supervisores e instrutores.

Sem data para regressar a Portugal porque "gostava de sair no dia em que entregar a chave da torre de controlo aos afegãos", Rui Madeira descobriu semelhanças entre o Afeganistão e a paisagem portuguesa.

"É um país de vales, extremamente férteis, verdes, quando chega a primavera, o branco das montanhas com o castanho dos montes, é muito bonito. Ali atrás a noroeste, quando entramos ali parece o vale de Santarém, por incrível que pareça", contou.

Onde há vales, há montes e, nas montanhas do Afeganistão "tudo é árido": "É seco e árido, quando neva, é tão seco que a neve passa de neve a pó. Não há lama, não há humidade", descreveu.

Rui Madeira estava na base militar do aeroporto Hamid Karzai à chegada do primeiro-ministro, António Costa, para uma visita de cinco horas às forças nacionais destacadas na missão da NATO no Afeganistão, cerca de 200 militares, 148 dos quais como força de reação rápida na proteção do aeroporto Hamid Karzai.

O ex-militar tinha uma prenda para entregar ao "cidadão António Costa", um chapéu tradicional afegão ["pakol"], bordado com o símbolo do Benfica e a inscrição "Casa do Benfica de Kabul".

"Não é oficial, é onde vamos ver os jogos do Benfica", explicou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório