Meteorologia

  • 17 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Três meios aéreos solicitados para combater fogo em Sintra-Cascais

Três meios aéreos pesados, dois aviões e um helicóptero, vão ser mobilizados para o combate ao incêndio que lavra desde sábado à noite na serra de Sintra, informou fonte oficial da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Três meios aéreos solicitados para combater fogo em Sintra-Cascais
Notícias ao Minuto

05:54 - 07/10/18 por Lusa

País Incêndios

"Foi solicitado o empenhamento de meio aéreos pesados para o auxílio, agora durante a fase do dia que vai entrar, com o nascer do sol, para nos ajudar a controlar, enfim, as frentes que ainda possam estar ativas, e naquilo que tem a ver com a consolidação de todo o perímetro do incêndio", afirmou o comandante André Fernandes.

O comandante distrital de Lisboa da ANPC, que falava aos jornalistas nos Paços do Concelho de Cascais, cerca das 04:30, precisou à Lusa que os meios aéreos solicitados consistem em dois aviões e um helicóptero pesados.

Segundo André Fernandes, de acordo com o plano de ação estratégico para o combate ao incêndio na serra de Sintra, foi também pedido o "reforço de três pelotões militares para auxílio das ações de vigilância e rescaldo".

Além destes novos meios, o comandante da ANPC explicou que "todo o dispositivo vai manter-se enquanto for necessário" para extinguir as chamas.

Momentos antes do "briefing" sobre o ponto da situação, o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras (PSD), e o comandante distrital da ANPC informaram o Presidente da República em relação à situação no terreno e às medidas em preparação para debelar as chamas.

Marcelo Rebelo de Sousa deslocou-se aos Paços do Concelho de Sintra, cerca das 00:45, para acompanhar, juntamente com o presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), a evolução do incêndio que lavra desde sábado à noite na zona da Peninha, em pleno Parque Natural Sintra-Cascais.

O chefe de Estado deixou a câmara cerca de meia hora depois e manteve-se em contacto com o presidente da Câmara de Cascais, uma vez que as chamas evoluíram para a zona da Biscaia.

A principal dificuldade no combate às chamas deveu-se ao vento forte que obrigou à evacuação preventiva de habitações na Biscaia, Figueira do Guincho, Almoinhas Velhas, Charneca e no parque de campismo de Cascais, com a retirada de 47 pessoas.

A zona do convento da Peninha situa-se no perímetro do Parque Natural de Sintra-Cascais, numa área muito exposta aos ventos marítimos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório