Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2018
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 26º

Edição

ADSE tem problema de envelhecimento que não se resolve cortando preços

Os hospitais privados consideram que a ADSE vive um problema de envelhecimento dos seus beneficiários, que não se resolve cortando nos preços a pagar aos prestadores, já "significativamente abaixo" do que é pago por outras entidades.

ADSE tem problema de envelhecimento que não se resolve cortando preços
Notícias ao Minuto

07:00 - 08/08/18 por Lusa

País Saúde

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada está a realizar um estudo sobre a sustentabilidade do subsistema de saúde dos funcionários públicos, ainda sem conclusões definitivas, mas que aponta para "um envelhecimento muito significativo do universo dos beneficiários".

Em entrevista à agência Lusa, o presidente da Associação, Óscar Gaspar, deu o exemplo dos utilizadores dos hospitais privados: cerca de 18% do total das pessoas que recorrem aos privados têm acima de 60 anos, mas esta proporção sobe para 38% no caso dos beneficiários da ADSE.

"A estrutura etária da ADSE é mais pesada e isto tem de ser acautelado, exige um esforço grande e estudos muito sérios sobre a sustentabilidade", afirmou, acrescentando que o estudo da associação que dirige deverá estar concluído dentro de algumas semanas e será entregue à ADSE e aos Ministérios da Saúde e das Finanças.

Por isso, sublinha que "é um erro" julgar que "se resolve" esse problema "cortando no preço a praticar aos privados".

Óscar Gaspar entende que o subsistema tem sido sustentável até hoje, embora avise que "no médio e longo prazo" possa haver problemas, decorrentes não só do envelhecimento, que leva ao aumento da procura de cuidados, como ao aumento da despesa em saúde que se verifica em todo o sistema, seja público ou privado.

Os hospitais privados reconhecem que "nalgumas áreas" há um consumo de cuidados e recursos de saúde que é superior entre os beneficiários da ADSE, mas entende que isso pode estar precisamente relacionado com a "média etária mais elevada".

"A análise sobre a pirâmide etária é muito clara, é uma evidência. Fica também claro [no estudo] que o preço que é praticado [pelos privados] à ADSE não está desalinhado. O preço pago pela ADSE está significativamente abaixo. Em consultas de especialidade, ninguém paga menos do que a ADSE", afirmou à Lusa.

Aliás, o responsável avisa que há limites para os preços a praticar, havendo mesmo casos em que o valor atribuído a um ato "fica abaixo do preço de custo".

Óscar Gaspar não descarta a necessidade de estudar um eventual consumo sobredimensionado de cuidados por parte dos beneficiários da ADSE e garante que os privados "não querem aumentar o fator quantidade".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório