Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2018
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Marcelo destaca Gonçalo Conceição em homenagem aos bombeiros

O Presidente da República afirmou hoje em Castanheira de Pera que no memorial de homenagem ao bombeiro inaugurado esta tarde "cabem todos os bombeiros", mas recordou de forma particular Gonçalo Conceição, que morreu depois do combate às chamas.

Marcelo destaca Gonçalo Conceição em homenagem aos bombeiros
Notícias ao Minuto

19:26 - 17/06/18 por Lusa

País Pedrógão Grande

"É, pois, justo que, sendo um memorial que homenageia todos, homenageie de forma especial aquele em que certamente pensais todos os dias, todas as semanas, todos os meses, mas com o qual não podeis privar como podíeis até há precisamente um ano", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa em Castanheira de Pera (distrito de Leiria), aonde se deslocou para inaugurar o memorial.

O chefe de Estado sublinhou que a obra inaugurada, "onde cabem todos os bombeiros", serve para que ninguém se esqueça da tragédia ocorrida em junho de 2017 - o incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande e alastrou a concelhos vizinhos, inclusive a Castanheira de Pera.

"Este memorial serve para que ninguém jamais esqueça. Porque às vezes a memória dos homens e das mulheres é curta e esquecem-se e não percebem o que deveriam retirar de lições daquilo que se passou. Esquecem e não testemunham permanentemente a gratidão a quem deviam testemunhar, esquecem e pensam que podem construir o futuro ignorando o passado", disse.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou que é justo ficar no local a fivela do bombeiro Gonçalo Conceição, da corporação de Castanheira de Pera, que morreu na sequência dos ferimentos sofridos no incêndio do verão passado.

"E, por isso, aqui está o memorial, onde naturalmente cabem todos os que viveram esta odisseia. É uma homenagem aos bombeiros, a todos os bombeiros. Mas é justo que fique ali a fivela do Gonçalo. Se todos são lembrados, é justo que ele seja lembrado de modo especial", frisou.

O Presidente da República deixou também uma mensagem de alento e sublinhou que é preciso continuar a renascer.

"Esse é o grande desafio que nos traz também este memorial: olhar para o futuro, construir um futuro melhor e não deixar cair os braços", concluiu.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu uma peça que resultou da união de uma tesoura a vidro nos dias do incêndio, devido às elevadas temperaturas do fogo.

"Vai ficar no Palácio de Belém, no gabinete do Presidente, não apenas enquanto eu for Presidente, mas para que todos possam recordar Castanheira de Pera", disse.

O chefe de Estado recebeu ainda duas outras peças que vão para o Museu da Presidência - uma com o resto do pneu de uma viatura onde seguiam os bombeiros de Castanheira de Pera e que ficou cravado no vidro, e outra com parte do para-brisas do mesmo veículo.

O incêndio que deflagrou há um ano em Pedrógão Grande (distrito de Leiria), em 17 de junho, e alastrou a concelhos vizinhos provocou 66 mortos e cerca de 250 feridos.

As chamas, extintas uma semana depois, destruíram meio milhar de casas, 261 das quais habitações permanentes, e 50 empresas.

Em outubro, os incêndios rurais que atingiram a região Centro fizeram 50 mortes, a que se somam outras cinco registadas noutros fogos, elevando para 121 o número total de mortos em 2017.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório