Meteorologia

  • 23 JULHO 2018
Tempo
24º
MIN 22º MÁX 25º

Edição

Galeão do sal Pinto Luísa volta a navegar no Sado em Alcácer do Sal

O galeão do sal "Pinto Luísa", uma das duas embarcações do género propriedade da Câmara de Alcácer do Sal (Setúbal) e praticamente únicas no mundo, voltou este mês a navegar no rio Sado, após restauro.

Galeão do sal  Pinto Luísa volta a navegar no Sado em Alcácer do Sal
Notícias ao Minuto

12:53 - 17/05/18 por Lusa

País Setúbal

A embarcação, neste seu regresso às águas do Sado, explicou hoje a câmara municipal alentejana, já começou a realizar viagens turísticas no rio, no âmbito de um programa da autarquia intitulado 'Alcácer tem Vida'.

Depois de um primeiro passeio lúdico, estão agora marcadas outras viagens, uma para este sábado e as próximas para os dias 26 deste mês e 24 de junho, explicou o município.

A Câmara de Alcácer do Sal possui dois galeões do sal, o 'Pinto Luísa' e o 'Amendoeira', utilizando ambas as embarcações para a realização de passeios turísticos no rio que 'banha' a cidade.

O 'Pinto Luísa', lembrou a autarquia, foi submetido a uma 'extensiva e demorada operação de restauro', iniciada em agosto do ano passado, no estaleiro em Sarilhos Pequenos (Moita).

As obras, que custaram quase 141 mil euros, comparticipadas em 85% pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP), deixaram o galeão 'praticamente como novo'.

A intervenção, indicou o município, incidiu sobre os mastros, roda de proa, tabica e encabeços a bombordo e a estibordo, cabine e sistema propulsor.

A embarcação, continuou, também dispõe agora de dois tanques novos, um de combustível e outro para águas limpas, tendo ainda sido renovado o WC e refeita a calafetagem.

Considerado, tal como o 'Amendoeira', um 'símbolo incontestável da cultura da região' de Alcácer do Sal, o barco esteve em restauro porque já 'não oferecia condições infraestruturais para navegar', explicou o presidente da câmara, Vítor Proença.

Mas, agora, segundo o autarca, 'já pode viajar' e é 'motivo de orgulho'.

A embarcação, sublinhou a autarquia, 'está novamente apta' para 'ser utilizada pelos alcacerenses e pelos visitantes, proporcionando um contacto com as atividades náuticas numa perspetiva de aprendizagem, sensibilização, recreio e lazer'.

Os dois galeões do sal são considerados pela câmara como embarcações 'praticamente únicas no mundo', pois, 'das 15 que se pensa terem sobrevivido até hoje, poucas se encontram a navegar e ainda menos em Portugal, de onde são originárias'.

O 'Pinto Luísa' e o 'Amendoeira', de acordo com o município, são 'testemunhas singulares' de um passado em que o rio Sado 'era o principal 'motor' económico da região' e recordam a importância do sal na história de Alcácer do Sal.

Adquirido pela câmara em 2003 e submetido, três anos depois, a uma recuperação global, o 'Pinto Luísa' foi construído em Setúbal, em 1946, e mede 19,3 metros, tendo uma lotação de 50 pessoas.

Quanto ao 'Amendoeira', construído em 1925, foi adquirido pela autarquia em 2004, mas, no ano seguinte, naufragou junto a Tróia e só regressou 'a casa' em 2007, após 'uma complexa operação de resgate e do seu total restauro'.

A embarcação tem cerca de 18,8 metros de comprimento e lotação para 50 pessoas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.