Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 12º

Edição

Mais uma filha do presidente da Korean Air demitida por fazer 'birra'

Cho Hyun-min foi suspensa das suas funções por ter atirado um copo de água a um colaborador. Huyn-min é a irmã mais nova de Cho Hyun-ah, que em 2014 ordenou que um avião voltasse para trás por causa de um saco de nozes.

Mais uma filha do presidente da Korean Air demitida por fazer 'birra'
Notícias ao Minuto

17:54 - 16/04/18 por Anabela de Sousa Dantas 

Mundo Coreia do Sul

Cho Hyun-min, de 36 anos de idade, é o mais recente membro da poderosa família do presidente da Korean Air a ser notícia por questões de caráter. Hyun-min, um alto quadro da aérea sul-coreana na área de marketing, foi suspensa das suas funções, esta segunda-feira, por ter atirado água à cara de um funcionário durante uma reunião, que aconteceu no passado mês de março, diz a BBC.

A mulher recorreu às redes sociais para se desculpar, depois de o caso ter chegado à imprensa, mas não se revelou suficiente, em parte por causa do historial familiar. Cho Hyun-min é a irmã mais nova de Cho Hyun-ah (na imagem, em 2014), antiga vice-presidente da Korean Air e protagonista do já histórico ‘nutgate’.

Hyun-ah, agora com 44 anos, esteve presa três meses por, em 2014, ter obrigado um avião da companhia a voltar para trás para expulsar uma hospedeira que lhe tinha servido nozes numa embalagem e não num prato, como dita o protocolo.

Um tribunal de Seul julgou a antiga dirigente por violações às normas da aviação, entre elas alterar planos de voo e cometer agressões num avião, e também por coação e interferência na execução do dever.

Embora Hyun-ah se tenha demitido dos cargos que ocupava na Korean Air, o caso acabou por abrir a caixa de Pandora dos alegados abusos de poder das famílias por detrás das ‘chaebol’, ou seja, os grandes conglomerados como a Samsung, Hyundai, LG ou, claro, Korean Air, empresas com muita influência política e económica.

Na sequência destes escândalos no seio da Korean Air - irmão mais novo da família que também foi notícia em 2005 por ter agredido uma idosa que lhe deu um raspanete na rua-, mais de 56 mil cidadãos sul-coreanos assinaram uma petição para pedir ao governo que impeça a companhia área de voar com a bandeira nacional e com o nome ‘Korean’.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório