Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

"Extremamente grave" suspeita de envolvimento russo no caso de ex-expião

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, condenou hoje o alegado atentado contra o ex-espião Serguei Skripal, considerando "extremamente séria" a suspeita de envolvimento de Moscovo, depois de ter telefonado à primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May.

"Extremamente grave" suspeita de envolvimento russo no caso de ex-expião
Notícias ao Minuto

19:16 - 13/03/18 por Lusa

Mundo Merkel

Em comunicado, Merkel assegurou a May que assumiu como "extremamente séria" a suspeita do Governo britânico sobre a responsabilidade russa no alegado envenenamento de Skripal e da sua filha, em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Merkel, que acordou com May um contacto permanente e coordenação com os aliados europeus, considerou que a Rússia deve pronunciar-se com celeridade face às suspeitas levantadas.

"A Rússia tem agora de dar resposta rápida às observações do Governo britânico e responder ao pedido de tornar transparente o programa de armas químicas perante a Organização para a Proibição de Armas Químicas", assinalou a chanceler alemã.

O Governo do Reino Unido entendeu ser "altamente provável" que a Rússia tenha estado envolvida no alegado envenenamento de Skripal, o que é interpretado como um "ataque direto" contra o Reino Unido se as suspeitas se confirmarem, como disse May no parlamento, na segunda-feira.

A chanceler alemã e a primeira-ministra do Reino Unido, que comunicou a Merkel que foi investigado que o produto usado contra o ex-espião, de 66 anos, e a filha, de 33, tinha natureza militar, admitiram hoje a possibilidade de a comunidade internacional responder de forma coordenada.

Antes da conversa telefónica entre Merkel e May e do comunicado da chanceler da Alemanha, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, condenou o ataque, após ter dialogado com o seu homólogo britânico, Boris Johnson.

"Condenamos energicamente este ataque com uma arma química proibida", declarou Sigmar Gabriel, sublinhando que "o que está claro é que os autores devem prestar contas" e que "seria muito grave se se confirmasse que a Rússia está por detrás" do alegado atentado.

Gabriel assinalou que as autoridades alemãs estão "muito preocupadas" com o incidente.

Serguei Skripal, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no dia 04 de março, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Na quarta-feira seguinte, o chefe da polícia antiterrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a sua filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório