Meteorologia

  • 17 DEZEMBRO 2018
Tempo
MIN 6º MÁX 8º

Edição

Sofrimento perpetuado. "Estamos a assistir ao massacre do século XXI"

O governo sírio continua a ordenar bombardeamentos na região de Ghouta Oriental, considerado o último bastião das forças rebeldes perto de Damasco. Ataques têm sido feitos de forma indiscriminada e as imagens chocantes mostram o sofrimento dos civis que vivem nesta área.

- Um dos feridos num dos centros médicos da cidade de Douma, na região de Ghouta Oriental

Notícias ao Minuto

09:10 - 21/02/18 por Fábio Nunes 

Mundo Síria

A guerra civil na Síria continua a prolongar-se e não parece ter um fim à vista. Deste país dizimado continuam a chegar imagens chocantes que retratam a destruição das cidades mas principalmente o desespero e sofrimentos do povo sírio, apanhado no meio de um conflito entre o governo e o exército sírio e as forças rebeldes.

Desde domingo, a Força Aérea síria tem bombardeado a região de Ghouta Oriental, o último bastião dos rebeldes perto da capital, Damasco. Numa zona onde vivem cerca de 400 mil pessoas, o governo sírio decidiu até atacar hospitais.

De acordo com os números mais recentes divulgados pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, já terão morrido cerca de 250 pessoas, incluindo perto de 60 crianças. Estima-se que estes bombardeamentos tenham feito 1.200 feridos. Segundo a CNN, esta organização adianta que este já é o massacre mais mortal desde o ataque químico de 2013, que também teve como alvo a região de Ghouta Oriental e que provocou cerca de 1.400 vítimas mortais.

Um dos médicos de Ghouta Oriental resumiu ao The Guardian o que está a acontecer nesta região. "Estamos a assistir ao massacre do século XXI", comparando com o massacre de Srebrenica, na Bósnia, considerado por muitos como o maior da década de 90.

A ONU já apelou ao fim dos bombardeamentos. O secretário-geral, António Guterres, mostrou-se “profundamente alarmado pela escalada da situação em Ghout Oriental e pelo seu devastador impacto nos civis”.

No entanto, para os civis que vivem nesta região o pesadelo está longe de acabar. O exército sírio, que tem contado com o apoio da aviação russa, vai manter o cerco a esta região e é de esperar que avance em breve com uma invasão terrestre.

As imagens que pode ver nesta fotogaleria são chocantes e alertamos que podem ferir a suscetibilidade dos leitores mais sensíveis.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório