Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Depois da confissão, fica por saber: Afinal, como morreu Maëlys?

Médicos legistas tentarão, nos próximos dias, responder à questão que todos querem ver esclarecida.

Depois da confissão, fica por saber: Afinal, como morreu Maëlys?
Notícias ao Minuto

09:15 - 15/02/18 por Andrea Pinto 

Mundo França

Foi no dia 27 de agosto, pelas 2h00 da madrugada, que Maëlys de Araújo foi vista pela última vez pela sua família. A menina desapareceu sem deixar rasto, dando origem a uma investigação que se prolongava há já seis meses, até que esta quarta-feira o principal suspeito decidiu confessar: era ele o responsável pelo desaparecimento e morte da menina lusodescendente.

Depois dos vestígios de ADN da menina encontrados no seu automóvel e as imagens de videovigilância que mostravam uma criança vestida de branco sentada no carro, foi preciso, contudo, que vestígios de sangue no porta-bagagens da viatura obrigassem Nordahl Lelandais a confessar o crime.

O homem alegou ter sido acidental a forma como a menina morreu e mostrou-se disponível para ajudar a polícia a encontrar o corpo. Os restos mortais foram descobertos ainda na quarta-feira, tendo novas ossadas sido encontradas já durante a noite.

Entretanto, a mãe da menina fez também um desabafo nas redes sociais, garantindo que "Maëlys vai perseguir Nordahl noite e dia na prisão".

Contudo, fica uma questão por esclarecer: Como morreu Maëlys?

Sabemos que após desaparecer com a menina, Nordahl esteve incontactável durante algumas horas, período durante o qual foi visto a lavar a sua viatura, com o objetivo, suspeita-se, de apagar qualquer vestígio da menina que o pudesse denunciar.

Contudo, uma marca de sangue no porta-bagagens do seu Audi A3 denunciou-o. Essa mesma marca indica, segundo uma fonte ligada ao processo, que a criança "terá perdido muito sangue".

Apurar as circunstâcias em que a criança morreu cabe agora a médicos legistas e a outros especialistas esclarecer. Uma conclusão que poderá ser conhecida após uma análise minuciosa aos restos mortais de Maëlys.

Contudo, esta poderá ser uma tarefa difícil e delicada dado que o corpo da menina foi abandonado há já seis meses na natureza e entregue aos predadores, salienta o Le Dauphine Libère.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório