Meteorologia

  • 14 AGOSTO 2018
Tempo
26º
MIN 22º MÁX 29º

Edição

Forças francesas matam 10 suspeitos de terrorismo no Mali

Forças militares francesas lançaram na quarta-feira um ataque contra uma base jihadista no norte do Mali, que terminou com a morte de pelo menos dez supostos terroristas, revelou hoje a agência France Press.

Forças francesas matam 10 suspeitos de terrorismo no Mali
Notícias ao Minuto

06:31 - 15/02/18 por Lusa

Mundo Segurança

Durante o ataque, na região de Kidal, no extremo nordeste do Mali, junto à fronteira com a Argélia, foi destruído um arsenal e vários veículos supostamente pertencentes ao Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos (GAIM), organização jihadista fiel à Al Qaeda, que opera no Sahel.

O ataque, realizado no âmbito da operação militar francesa Barkhane, visava o líder do grupo jihadista Ansar Dine, Malian Iyad Ag Ghaly. Um colaborador próximo do líder jihadista, ex-coronel do exército maliano, desertor, foi morto durante a incursão, revelaram as Forças Armadas Malianas (FAMa).

Atualmente há cerca três mil soldados mobilizados no âmbito da Barkhane, uma operação criada em 2014 com o objetivo de prestar apoio aos países do Sahel que nesse mesmo ano formaram o chamado G5 (Mauritânia, Mali, Burkina Faso, Níger e Chade) na sua luta contra os insurgentes jihadistas.

No Mali também está presente uma missão de paz da ONU, a Minusma, que conta com mais de 15 mil elementos, entre militares e polícias.

Os jihadistas foram teoricamente expulsos graças a uma intervenção militar internacional liderada pela França em janeiro de 2013, mas extensas áreas do país, sobretudo no norte e centro, escapam ao controle do Estado maliano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.