Meteorologia

  • 20 MAIO 2018
Tempo
23º
MIN 22º MÁX 23º

Edição

Elsa Artadi apontada como ‘sucessora’ de Puigdemont

Media espanhóis avançam esta quinta-feira com o nome da deputada do Juntos pela Catalunha para ser a próxima presidente da Generalitat. No entanto, a ideia é que Puigdemont seja o presidente efetivo a partir de Bruxelas.

Elsa Artadi apontada como ‘sucessora’ de Puigdemont
Notícias ao Minuto

16:22 - 08/02/18 por Pedro Bastos Reis

Mundo Catalunha

Caso a investidura de Carles Puigdemont como presidente da Generalitat volte a falhar, Elsa Artandi (à direita na foto), do mesmo partido do líder separatista, poderá ser a escolhida para lidar o governo catalão.

A informação foi avançada pela RAC1, que afirma que Elsa Artadi, doutorada em Economia e professora universitária, poderá liderar o governo na Catalunha, apesar de Carles Puigdemont ser o presidente efetivo a partir do exílio em Bruxelas.

Na passada quarta-feira, o jornal catalão La Vanguardia avançou com a informação de que o líder do Juntos pela Catalunha pretende criar um conselho da república que o investiria, em Bruxelas, a 18 de fevereiro.

Esta possibilidade surge depois de ter sido colocada em cima da mesa a possibilidade de serem formados dois governos, um a funcionar em Barcelona e outro na capital belga, uma vez que, devido à decisão do Tribunal Constitucional espanhol, Puigdemont não poderá ser investido à distância. Para poder ser eleito presidente da Generalitat, terá de regressar a Espanha, ser detido – existe um mandado de captura pelas crimes de sedição e rebelião – e, depois, aguardar pela autorização do juiz do Supremo Tribunal, Pablo Llarena, para comparecer no parlamento catalão.

Neste cenário, o Juntos pela Catalunha parece empenhado numa solução que passe por dois governos, estando o centro da decisão em Bruxelas. Assim, e caso se confirme a possibilidade de Elsa Artadi, de 42 anos, ser a escolhida, esta seria uma espécie de ‘testa de ferro’ de Puigdemont.

A grande dúvida, para além da legalidade e exequibilidade desta solução, é saber se os restantes partidos independentistas – Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e Candidatura de Unidade Popular (CUP) – estão ou não disponíveis para a aceitar.

Em entrevista à TV3, o porta-voz da ERC, Sergi Sabrià, reiterou que “Puigdemont é o único candidato em cima da mesa”, no entanto, também não deixou de dizer que não cabe ao seu partido “trazer novos nomes” para a discussão.

Nesta quinta-feira, o presidente do parlamento catalão, Roger Torrent, esteve reunido com o líder da ERC, Oriol Junqueras, e com o ex-conselheiro Joaquin Forn, ambos detidos, e no final do encontro preferiu manter o silêncio e não comentou a possibilidade de existir outro candidato para além de Puigdemont.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.