Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2018
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 12º

Edição

Saiba tudo o que disse o terrorista de Manhattan à polícia, sem remorsos

Oito mortos e treze feridos, quatro em estado crítico, é o último balanço das autoridades do ataque terrorista de terça-feira à noite em Manhattan.

Saiba tudo o que disse o terrorista de Manhattan à polícia, sem remorsos
Notícias ao Minuto

23:13 - 01/11/17 por Patrícia Martins Carvalho 

Mundo Nova Iorque

Sayfullo Saipov está formalmente acusado de terrorismo pela justiça norte-americana depois de, ontem, ter atropelado mortal e propositadamente várias pessoas numa movimentada ciclovia do famoso bairro nova-iorquino de Manhattan.

O suspeito, que depois de atirar a viatura na direção das pessoas saiu da carrinha munido com duas armas, foi baleado pela polícia e levado para o hospital onde foi sujeito a uma intervenção cirúrgica para a remoção de balas.

Quando acordou da anestesia, Sayfullo Saipov tinha à sua espera os agentes do FBI que conseguiram ‘arrancar-lhe’ algumas informações sobre o planeamento do ataque e as intenções do terrorista.

De acordo com o noticiado pela CNN, Sayfullo Saipov disse aos investigadores que se inspirou nos vídeos do ISIS que tinha no seu telemóvel para levar a cabo o atentado.

Mais precisamente, o terrorista disse ter-se inspirado nos vídeos do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, que pediu a todos os muçulmanos a residir nos Estados Unidos que levassem a cabo ataques terroristas como forma de vingança pelos irmãos mortos no Iraque.

Notícias ao MinutoSayfullo Saipov, o terrorista natural do Uzbequistão que matou oito pessoas© St. Charles County Police Department

A carrinha de caixa aberta que utilizou para atropelar as pessoas foi alugada no passado dia 22, pois Sayfullo Saipov queria praticar manobras arriscadas e a escolha da data não foi aleatória.

O homem natural do Uzbequistão escolheu a noite do Halloween porque sabia que haveria “mais pessoas nas ruas”.

No seu plano inicial, o terrorista queria colocar uma bandeira do ISIS na carrinha, mas optou por não o fazer para não dar nas vistas. Mesmo estando deitado numa cama de hospital sob detenção, o homem teve a coragem de perguntar aos investigadores do FBI se podia colocar uma bandeira do Estado Islâmico junto à sua cama.

Nesta senda, Sayfullo Saipov disse que não se arrependia do que tinha feito, mostrando orgulho nos homicídios cometidos, e confessando que o seu plano original previa continuar a conduzir a carrinha até à famosa Ponte de Brooklyn para que o número de mortos fosse ainda maior.

O suspeito está agora formalmente acusado de terrorismo e o FBI garante já ter “encontrado” um segundo suspeito que terá ligações ao ataque.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório