Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Juiz federal dos EUA decide manter oleoduto contestado por tribo índia

Um juiz federal decidiu hoje que um contestado oleoduto no Estado do Dacota do Norte pode continuar a operar até que seja completado um estudo sobre o seu impacto ambiental em terrenos índios.

Juiz federal dos EUA decide manter oleoduto contestado por tribo índia
Notícias ao Minuto

23:27 - 11/10/17 por Lusa

Mundo Justiça

A decisão do juiz James Boasberg é um golpe para a tribo Standing Rock Sioux, que tinha argumentado que um derrame de petróleo do oleoduto, que passa sob o lago Oahe, que abastece a tribo em água, teria um efeito negativo sobre a comunidade tribal.

Boasberg reconheceu que encerrar o oleoduto provocaria uma rutura na indústria petrolífera, mas garantiu que este não foi um fator importante na sua decisão.

O oleoduto de 3,8 mil milhões de dólares (3,2 mil milhões de euros), que está a ser construído pela empresa texana Energy Transfer Partners, entrou em funcionamento em 01 de junho, transportando petróleo desde o Dacota do Norte através dos Estados do Dacota do Sul e Iowa para um ponto de distribuição no do Illinois. Daqui pode ser transportado para a costa do Golfo e mercados estrangeiros potencialmente lucrativos.

O oleoduto tem a capacidade de transportar metade do petróleo produzido diariamente no Dacota do Norte, o segundo principal Estado produtor de petróleo, depois do Texas.

Os dirigentes da indústria do petróleo aplaudiram a decisão de Boasberg, com o presidente do Conselho do Petróleo do Dacota do Norte, Ron Ness, a classificar o oleoduto como "uma componente crítica da infraestrutura de energia da América".

Donald Trump tinha pressionado para o acabamento do oleoduto.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório