Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2018
Tempo
26º
MIN 26º MÁX 26º

Edição

Morreu o militar cujo instinto impediu uma guerra nuclear em 1983

Stanislav Petrov morreu sozinho em sua casa, aos 77 anos de idade. A 26 de setembro de 1983 tomou uma decisão que impediu uma guerra nuclear entre Estados Unidos e União Soviética.

Morreu o militar cujo instinto impediu uma guerra nuclear em 1983
Notícias ao Minuto

23:52 - 18/09/17 por Notícias Ao Minuto 

Mundo Stanislav Petrov

Morreu, aos 77 anos de idade, Stanislav Petrov, o militar soviético que salvou o mundo de uma guerra nuclear em 1983. A sua morte, diz o Guardian, já terá acontecido a 19 de maio na sua casa em Fryazino, Moscovo, mas só agora está a ser noticiada, sem ser revelada a causa da mesma.

Petrov era um agente da Força de Defesa Aérea Soviética de serviço no centro de comando secreto nos arredores de Moscovo, a 26 de setembro de 1983, quando um radar mostrou que cinco mísseis balísticos intercontinentais tinham sido lançados pelos Estados Unidos com alvo na União Soviética.

O protocolo do Exército Vermelho ditava que se ordenasse um ataque em retaliação mas Petrov – na altura, um tenente-coronel de 44 anos de idade – ignorou o alerta, intuindo que se tratava de um alarme falso.

“A sirene tocou, mas parei alguns segundos, com o olhar fixo no ecrã vermelho, iluminado a preto, com a palavra ‘lançamento’ escrita. Um minuto depois, a sirene voltou a tocar. Tinha sido lançado o segundo míssil, e depois o terceiro, o quarto e o quinto. Os computadores mudaram o alerta de ‘lançamento’ para ‘ataque de míssil’. (…) Tudo o que eu tinha que fazer era pegar no telefone para abrir uma linha direta com os comandantes de topo”, descreveu Stanislav numa entrevista em 2013.

No entanto, ao invés de acionar um conjunto de acontecimentos que poderia desembocar numa guerra, decidiu ignorar, mesmo admitindo que não sabia, na altura, se estava a fazer o correto.

“Vinte e três minutos depois apercebi-me que nada tinha acontecido. Se tivesse havido um ataque real, já saberia. Foi um alívio”, confessou, na mesma entrevista.

A sua história só se tornou conhecida mundialmente em 1998 aquando da publicação do livro de memórias do general Yury Votintsev, um comandante reformado da Força de Defesa Aérea Soviética.

Stanislav morreu sozinho em casa, onde sobrevivia com uma reforma do estado russo. Deixa dois filhos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.