Meteorologia

  • 25 NOVEMBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Maduro acusa oposição de tentar ocultar conversações prévias ao diálogo

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou hoje a oposição de tentar ocultar as conversações prévias ao diálogo e de distorcer as primeiras reuniões através de um comunicado "insólito, cheio de mentiras".

Maduro acusa oposição de tentar ocultar conversações prévias ao diálogo
Notícias ao Minuto

07:05 - 16/09/17 por Lusa

Mundo Venezuela

"Lamentavelmente (a oposição) tem tratado de manter ocultas as conversações preparatórias, que duram meses", disse durante uma alocução televisiva, transmitida a partir do palácio presidencial de Miraflores.

Maduro sublinhou que o Governo e a oposição estão "perto de alcançar um acordo" e precisou que o México, Chile, Nicarágua e Bolívia vão participar, como mediadores, na reunião prevista para 27 de setembro, na República Dominicana.

Segundo Nicolás Maduro "a Venezuela tem uma democracia sólida, que é capaz de suportar ataques nacionais, violência, tentativas de golpe de Estado".

"Todos os dias, em todos os países, há uma campanha contra a Venezuela, sem direito a defesa. A imprensa internacional constitui-se em procuradora, juiz, parte e algoz. Terminam tentando enforcar e destruir a esperança venezuelana".

A aliança opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD) anunciou sexta-feira que quer ver submetido a um referendo popular os eventuais acordos que venham a surgir de uma nova etapa de diálogo com o Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"Levantámos (no debate) a necessidade de submeter a um referendo popular, qualquer acordo que surja num eventual processo de negociação", explica um comunicado da MUD.

O documento, foi divulgado depois de a oposição e o Governo venezuelano terem chegado, quinta-feira, a um acordo para voltar a encontrar-se, a 27 de setembro, na República Dominicana, para continuarem a explorar possibilidades de diálogo.

No comunicado, a MUD divulga as condições exigidas, durante as reuniões de quarta e quinta-feira, na República Dominicana, para uma possível negociação com o Governo do Presidente Nicolás Maduro.

Entre essas condições, está "a renovação equilibrada" do Conselho Nacional Eleitoral e o estabelecimento de um calendário eleitoral com garantias de justiça, sem impedimentos legais, datas precisas, incluindo uma eleição presidencial, em 2018, e missões de observação internacional qualificadas, compostas por países amigos, instituições multilaterais e testemunhas nas negociações.

Também a libertação de todos os presos políticos, o regresso dos exilados e o fim das perseguições políticas, assim como a normalização constitucional do país e a imediata atenção à emergência humanitária na Venezuela.

A oposição disse ter "o objetivo fundamental de salvar a Venezuela" e, para isso, é "indispensável a substituição constitucional do regime de Nicolás Maduro", através de uma mudança democrática e pacífica.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório