Meteorologia

  • 17 JULHO 2018
Tempo
25º
MIN 22º MÁX 27º

Edição

Filmou a própria violação e conseguiu levar agressor à prisão

Ligou a câmara do telemóvel julgando que o homem acabaria por fugir, mas tal não aconteceu. Vídeo serviu de prova em tribunal e agressor acabou condenado a 13 anos de prisão.

Filmou a própria violação e conseguiu levar agressor à prisão
Notícias ao Minuto

18:00 - 14/09/17 por Melissa Lopes

Mundo Inglaterra

Lillian Constantine, de 19 anos, foi violada em 2016 perto da sua casa em Kent, em Inglaterra. Volvido um ano, a jovem britânica decidiu deixar o anonimato e contar a sua história, no programa da BBC 'Today Programme' para ajudar outras vítimas de agressão sexual a denunciarem os crimes às autoridades. Há um ano, conta Lillian, um desconhecido violou-a quando estava a apenas 60 segundos de sua casa.

"Estava completamente escuro e eu carreguei no botão do vídeo do meu telemóvel pensando que o homem iria parar e fugir quando visse a luz", recorda. Porém, tal não aconteceu. O agressor atirou o telemóvel para o chão e acabou mesmo por violá-la.

"Estava num estado de choque tão grande que acabei por me esquecer que estava a gravar. Conseguir captar uma imagem dele. Quando vi, nem queria acreditar. Senti que o tinha apanhado", conta, lembrando que o facto de estar tão próxima de casa fez com que nunca sentisse medo de por ali andar.

O processo que se seguiu, afirma, toda a perícia, todas as análises, todas as idas à esquadra, fez com que sentisse um "rato de laboratório". Apesar de pensar em desistir da denúncia, sentiu que tinha a responsabilidade de continuar.

"Tinha uma responsabilidade e, apesar de ter sido muito difícil, convenci-me de que tinha que continuar". O vídeo então gravado foi usado em tribunal como prova e o agressor acabou por ser condenado a 13 anos de prisão. Lillian deixa ainda uma mensagem a quem, porventura, esteja a passar ou venha a passar pelo mesmo. "Não deixes que a violação te consuma, nem que te defina. Todos os dias digo a mim mesma: 'aconteceram coisas más, mas é preciso levantar e continuar a lutar'".

"Lembra-te: não estás errada. Foste uma vítima e uma sobrevivente, por isso tens que ir até o fim", termina.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.