Meteorologia

  • 18 JULHO 2018
Tempo
24º
MIN 21º MÁX 26º

Edição

Ataque suicida a coluna da NATO provoca número indeterminado de vítimas

Um rebelde suicida atacou hoje uma coluna de militares da NATO na província de Kandahar, no sul do Afeganistão, e causou um número indeterminado de vítimas, referiram fontes oficiais à agência de notícias espanhola EFE.

Ataque suicida a coluna da NATO provoca número indeterminado de vítimas
Notícias ao Minuto

10:58 - 02/08/17 por Lusa

Mundo Afeganistão

"O ataque, cuja autoria foi reivindicada pelos talibãs, aconteceu por volta das 12:20 locais (08:50 em Lisboa) no distrito policial número cinco de Kandahar, capital da província de mesmo nome", indicou o porta-voz do governador regional, Samim Khpalwak.

De acordo com o porta-voz, "o ataque suicida com um carro armadilhado aconteceu quando a coluna das tropas internacionais estava a passar pela área", referindo ainda que o local do atentado encontra-se na direção de uma importante base das forças dos Estados Unidos.

A missão aliada no Afeganistão confirmou à EFE que uma das colunas foi atacada e que o atentado "causou vítimas", sem dar mais detalhes.

As forças de segurança do Afeganistão foram deslocadas para a zona e estão a tratar de esclarecer o número de vítimas, declarou uma fonte das autoridades afegãs.

Os talibãs reivindicaram a autoria do atentado através de uma mensagem do seu porta-voz, Qari Yusuf Ahmadi, na sua conta na rede social Twitter.

A NATO conta no Afeganistão com cerca de 13.000 efetivos em tarefas de assessoria e treinamento, sendo que os Estados Unidos mantêm cerca de 8.400 efetivos, como parte desta operação de assistência e de tarefas antiterroristas.

Os Estados Unidos estudam uma nova estratégia para as suas forças no Afeganistão, apesar de a NATO ter pedido recentemente aos países membros um aumento das suas tropas para apoiar a missão no país.

Desde o fim da missão de combate da NATO, em janeiro de 2015, os rebeldes ganharam terreno em diversas partes do Afeganistão e na atualidade controlam, têm influência ou lutam contra o Governo afegão em pelo menos 43% do território, segundo dados dos Estados Unidos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.